Pesquisar neste blog

No mundo

dezembro 30, 2012

Mensagem de Fim de Ano





NUNCA pense que você vale menos do que é para o PAI! Às vezes a sensação de fracasso chega para tentar te abater, o cansaço, a sensação de perda... Como uma criança sustentando uma pedra sozinha, esperando alguém vir, hora e outra quase desistindo... Às vezes até de tudo... Porém nunca da vida e do novo florescer...Eu acredito nisso! Eu sou prova disso! Mas creia que a vitória já é sua. Na caminhada da vida existem muitas subidas, descidas, esquinas sombrias e verdes pastos, jardins ultra floridos..E a vida é uma só, o ingresso é único!! Então viva o seu dia. Viva a sua semana, longanimamente, sem pressa e de acordo com o tempo, nosso aliado e amigo. É ele quem nos supre e nos brinda com novas esperanças, um novo sol, o mais lindo luar! Sem pressa, porém sempre longânimo... O que eu desejo aos meus amigos é: superação, autoconhecimento e fé! Porque sem fé não se levanta da cama. Fiquem em paz! E VENÇAM! E um feliz 2013!

"Aprendi que eu não posso exigir o amor de ninguém.
Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência, para que a vida faça o resto.
Aprendi que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e eu jamais conseguirei convencê-las.
Aprendi que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos.
Que posso usar o meu charme por apenas 15 minutos, depois disso, preciso saber do que estou falando.
Eu aprendi…
Que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida.
Que por mais que se corte um pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces, e o mesmo vale para tudo o que cortamos em nosso caminho.
Aprendi…
Que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência.
Mas, aprendi também que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei.
Aprendi que preciso escolher entre controlar meus pensamentos ou ser controlado por eles.
Que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sente.
Aprendi que perdoar exige muita prática.
Que há muita gente que gosta de mim, mas não consegue expressar isso.
Aprendi…
Que nos momentos mais difíceis, a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar as coisas.
Aprendi que posso ficar furioso, tenho o direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel.
Que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos são impossíveis, pois seria uma tragédia para o mundo se eu conseguisse convencê-la disso.
Eu aprendi que meu melhor amigo vai me machucar de vez em quando, e que eu tenho que me acostumar com isso.
Que não é o bastante ser perdoado pelos outros, eu preciso me perdoar primeiro.
Aprendi que, não importa o quanto meu coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso.
Eu aprendi…
Que as circunstâncias de minha infância são responsáveis pelo que eu sou, mas não pelas escolhas que eu faço quando adulto;
Aprendi que numa briga preciso escolher de que lado eu estou, mesmo quando não quero me envolver.
Que, quando duas pessoas discutem, não significa que elas se odeiem; e quando duas pessoas não discutem não significa que elas se amem.
Aprendi que por mais que eu queira proteger os meus filhos, eles vão se machucar e eu também. Isso faz parte da vida.
Aprendi que a minha existência pode mudar para sempre, em poucas horas, por causa de gente que eu nunca vi antes.
Aprendi também que diplomas na parede não me fazem mais respeitável ou mais sábio.
Aprendi que as palavras de amor perdem o sentido, quando usadas sem critério.
E que amigos não são apenas para guardar no fundo do peito, mas para mostrar que são amigos.
Aprendi que certas pessoas vão embora da nossa vida de qualquer maneira, mesmo que desejemos retê-las para sempre.
Aprendi, afinal, que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas em que acredito."

(William Shakespeare)

dezembro 09, 2012

Frases



O homem ideal é aquele que sabe reconhecer o seu valor como mulher, te põe para cima e não compete com você, porque os dois já sabem que quem está no controle é ele. E esse controle não é autoritário e centralizado, ao contrário, ele te deixa à vontade para que você faça suas escolhas, mas já sabendo que a sua escolha será o que ele demanda. Não porque você seja sem personalidade ou submissa, mas porque ele te prova que te quer bem , te adora e quer o melhor pra você. Um príncipe? Não, um homem inteligente.

***

Se a vida tivesse ensaio, tudo seria belo e a existência não seria essa hecatombe de micro momentos que fazem dela tão imprevisível e verdadeira. E a felicidade nada mais é do que isso: micro ou macro momentos que se saíram bem na fita da sua vida.

*** 

Eu quero aquela ambição saudável. Aquela que você lembra que há algum tempo atrás era inatingível e grandiosa demais pra você, mas hoje nem tanto assim...#Novo Projeto

***

O amor perdoa tantas e quantas vezes forem necessárias para que ele subsista, porém nós, como limitadores, sempre colocamos um ponto final e seja cedo ou tarde, é uma questão de honra e amor próprio..Ou você escolhe você ou o raio do amor...

dezembro 05, 2012

Depois te amo mais






...O senso estava alterado, não o critiquei. Poderia até pensar que seria uma noite engraçada ou quem sabe ele deitaria na cama e dormiria um sono profundo e justo. Assim a noite começou, entre brincadeiras e sorrisos e a avidez de suas palavras e gestos, que entre surpresa e desconfiança, tal como observadora atenta ao seu declame, apenas obedeci e olhei ao fundo. Um espelho e ele perfeito... Em pé, nu e narrando-me como um drama grego. Foi quando ele me tocou o rosto,  sentou-me no sofá e sorriu...

“...E ficou por ali, ébrio e nu
Despido de si mesmo
Tendo o espelho como testemunha
Não ensaiou textos
Tampouco sentimentos
Também não foi por um momento, ao contrário
Eternizou-se...
Como a maior declaração de todos os tempos...

E conversando comigo,
Falava consigo mesmo
Como um deságue de rios de palavras,
Leitos e frases jamais ouvidas por mim
E por ele mencionadas...

A cena era de cinema.
Nu, com jeito de menino
Oratória   como música
Que tocava em meus ouvidos
E ao meu olhar revelava
O que ao meu coração embevecia
Porque a  doçura do momento
Era como oração, enobrecia...

Meus lábios emudeceram
Minha atenção redobrou
Seu jeito doce e sincero me emocionou
Porque ele me desvelou
De maneira racional e viril
Seu jeito másculo me enfeitiçou
Tocou-me o sexo com vigor
Exigiu-me dor e calor
Domínio de poder, jogo de amor



Foi como um cataclisma,
Prisma
Da conquista ou qualquer coisa assim
Um golpe de mestre, xeque-mate da paixão
Que do inesperado tornou-se febril
Pois que me surpreendeu seu jeito vivo, pueril
Agora livre da  frieza que a mim  pareceu
Que  não gostava de mim, apenas do meu corpo,
Que já era seu...


Sua alma latente de novas frases, beijos e amor
Não pela metade, até o torpor...
O controle do meu corpo era dele
E eu, como flor
Escancarada de beleza, doçura e resplendor
De sentir-me amada sem medo, incerteza e agonia
Agora segurança, paz, alegria...


Por momentos e horas, deixamos o tempo lá fora
As pessoas, o mundo, apenas o agora
Conjectura, pacto, contrato...
O realismo voltando,
Seria a bebida se dissipando?
O cansaço chegando...
E nas entrelinhas da  noite inesperada
Nenhuma pergunta se destacava


E selamos a parceria
Na mais alta madrugada
Ele era dele mesmo
Dono se sua razão
E ficou combinado
Que eu seria seu coração
Prometida pra poesia
E viver essa paixão, união
Agora até o fim,
Compreendida e decidida
Independente de tempo e espaço, mas sempre sim..

E não saberia dizer qual seria este fim..
Se do amor, do tempo ou do querer
Mas esta certeza de amar
Trouxe-me novo fôlego, calor diferente
E uma eternidade que independe
De se estar junto e inteiro
Mas jamais  pela metade,
Porque na verdade
De que adianta   estar junto e sentir-se meio,
Quando é no meio do caos da distância que você se reconhece em alguém como todo?"





novembro 20, 2012

Pensando nas coisas de Deus...






A morte espiritual é a única que realmente nos enterra num poço profundo de insensibilidade e racionalidade vazia e desesperançosa. (Elayne)


Muitos religiosos esquecem que um dos dez mandamentos de Deus é : "Não tomar o santo nome de Deus em vão". Nos tempos de Moisés o nome de Deus era praticamente impronunciável e representado pelo tetragrama YHWH. E ai de quem o tomasse em vão que morria fulminado. Então parem de usar Deus p querer corrigir o pecado dos outros e não esqueçam que a primeira pessoa a quem Cristo apareceu após ressuscitar foi Madalena, assim como Ele disse e está escrito (e serve para os hipócritas):  Mateus 21:31 " Eis que publicanos e meretrizes vos precedem no reino de Deus". (Elayne)



É fácil perdoar quem amamos..Então se você demora a perdoar quem gosta é porque não ama tanto assim...(Elayne)





novembro 09, 2012

Depois de Você






O fato é: o tempo passando, eu pensando q esqueci e à cada vez que nos falamos e até nos desentendemos, mesmo sendo amigos( ou tentando), eu tenho a certeza que pode ser amor, pq se mil vezes me perguntassem se eu tentaria de novo, a minha resposta seria sim! Sempre! Você foi meu melhor namorado, mais que isso, segurou na minha mão quando eu mais precisei. Mas há coisas que só depois vamos entender.Boas perspectivas do que já não é inédito pra gente, mas que traz uma sensação de novo. Estar com você novamente seria voltar a acreditar em relacionamentos, voltar a pensar em um reencontro mais sólido e verdadeiro..Depois de alguns anos de separação, mas jamais afastamento. Quero poder sinceramente corresponder à essas expectativas, mas tudo é um processo, que exige disciplina e acima de tudo, vontade. E eu estou disposta, sim! 

novembro 07, 2012

Tentei ser alguém (Julio Muniz)






"Ouve um momento

Um único momento

Você entrou na escuridão para acender a luz 
Subi aos céus carregado por suas asas 

Acreditei que era verdade,senti a brisa mais fresca que soprava ao teu lado pude ver beleza nas coisas pequenas

Pude tirar a fria arma do destino da minha cabeça, no céu me senti um igual... 

Me senti alguém
Ouve um momento um único momento 
Eu enfim sabia o que era amar eu enfim acreditei no amor
Mas no céu o vento e forte é não me foi dada asas, Agora estou caindo de volta 
Caindo como uma estrela cadente sem desejos para dar porque meu único desejo é que você volte 
Volte pra me mostra a beleza do mundo que só consigo ver ao teu lado
Ouve um momento, um único momento que acabou."




Julio Muniz
      

novembro 02, 2012

Novo livro

Então, gente, até que enfim...
Desde o início que estou com o livro pronto e nada de publicar. Hoje resolvi essa questão e " ta aí!". Mais uma produção quase "independente", porque se não fossem os colegas participando que graça teria? Eles é que são o meu maior motivo, pois pensam comigo, estão no "mesmo barco"...Enfim, não desistem de escrever, da poesia, de amar. Deixo um pequeno trecho do livro e agradeço a todos que me curtem e me acham uma boa "escrevedora", como meu amigo Cacá se autodenomina e eu também! rsrsrs.


”...Às vezes é complicado entender que  as palavras são
como paralelos e paradoxos que se entrelaçam.
E que nas entrelinhas  vão percorrendo o desenvolver de um raciocínio  que nem sempre tem lógica.
Separadas  e aleatórias, poucas vezes atraem nosso intelecto.
Porém quando menos imaginamos e pouco esperamos,
elas se completam e tomam formas inimagináveis...
A isto eu chamo inspiração...”



Este livro não é muito diferente dos outros, sempre o mesmo estilo. Porém considero duas coisas bem inovadoras em meu estilo de prosa poética. A primeira é que me assumi meio "narcisa" e enchi de imagens, fotos minhas que permitem expressar o desenrolar de cada história versada. E a segunda coisa é que algumas pessoas não sabem, mas anjos me atraem, rs..Então resolvi escrever sobre eles um pouco, em forma de prosa poética, claro, fazendo umas analogias que eu gosto muito. Enfim, só lendo mesmo. Deixei disponível para degustação 15 páginas! Na verdade gostaria de presentear a todos, realmente é algo que muito me alegraria, porém no Clube não é assim que trabalhamos. Deixo minha página para quem quiser me dar a honra de ler-me um pouquinho.

Dedico aos meus amigos: Fábio Aiolfi que apresenta o livro com uma imagem lindíssima e seu poema Eternidade; Jerônimo Madureira, sempre amigo, assim como as lindas Carina Morais e Francis França. E claro, meu querido amigo Ricardo Vichinsky, que me atura e participa sempre dos meus projetos e faz parte do meu cotidiano. Sempre...
Bjosss....

Elayne Aguiar


https://www.clubedeautores.com.br/book/132049--Entrelinhas

outubro 28, 2012








Rede Social

      As  antigas “fifis” da janela agora estão “informatizadas”. Elas agora abrem suas  janelas  virtuais e apoiam seus cotovelos nas mesinhas do teclado. E dali não só observam a vida dos outros, mas principalmente fazem o de antes e o de sempre: fofocas.
    Os criminosos, como pedófilos e estelionatários, agora não precisam mais mostrar seus rostos para aplicarem seus golpes e fazerem suas vítimas, porque  agora eles o fazem pela internet. Acessam contas, seduzem homens, mulheres e crianças  e conseguem seus números de contas, seus endereços, seus corpos, suas vidas.  As mulheres casadas e carentes, assim como os homens infiéis não precisam mais sairem de suas casas e levantarem suspeitas. Eles traem dentro do seu próprio lar  enquanto seus cônjuges dormem...
   Definitivamente nossa vida não anda mais por um fio e sim por um click. E poderíamos enumerar milhares de situações e controvérsias que não só as redes sociais, como a internet em geral apresentam frente à uma sociedade rendida e entusiasmada.
   No que se refere apenas às redes, certamente há vantagens e gratas surpresas em reencontrar velhas amizades ou quem sabe poder ser “amigo” do seu ator preferido e saber o que o professor carrancudo da sua escola anda fazendo nos fins de semana. Porém não há muito o que falar, discutir ou conjecturar sobre aspectos psicossociais que inserem-se nesse contexto. Há a dura realidade de que o advento da internet e redes sociais se resumem em uma frase: “ A interatividade selvagem encurtou  as distâncias físicas e a privacidade e a rotina da convivência diária infelizmente distanciou as pessoas.”


outubro 10, 2012



Todas as suas lutas 
Eu lutei por voce 
Sempre que voce fraquejou 
Eu estava lá pra te dar a mão 
Quando você se perdeu eu mostrei 
O caminho
Quando ficou escuro eu fui a luz 
Quando você teve medo
Foi o meu nome que você chamou
Em todos os momentos eu numca te deixei sozinha 
Sempre fui teu abrigo
Quando chorou estava lá pra secar tua lagrima 
Quando precisou de um mocinho eu lá estava,
quando precisou de um vilão, eu era esse vilão
Quando você queria uma música eu criei a melodia 


Quando eu precisei de carinho no lugar do seu colo só tinha um lugar vazio.



Por Júlio Muniz 



Nota: "Esse menino lindo não brinca de ser brisa suave, muito menos maresia..Ele é tempestade, ventania! É febre, vida ao avesso, enlouqueço, é menino, é homem, anjo...Um rearranjo de si mesmo..." (Elayne Aguiar)

outubro 04, 2012

Dias...




 Os dias  tem sido cheios: de saudades, de compromissos, de nada pra fazer...E tudo simultâneo. Mas não adianta procrastinar!A hora é agora! Pra deixar de ter saudade você tem que senti-la até poder saciá-la. Para o mundo girar suas metas tem q ser traçadas e você deve encher seus dias , suas horas, sua vida. Para você deixar de fazer nada...bem, Você tem que se encher de tudo: de Deus, do bom que habita teus pensares, que move teus sonhos, que te faz feliz, assim como a quem você quer bem...

setembro 22, 2012

Somos de Nós

Acho que te amo...
Essa saudade que não passa!
 E como eu quero senti-la! Como  preciso esquecê-la...
Penso em teu corpo
Tua pouca relutância mediante a minha
E teu respeito em entender minha vontade...

E isso por vezes te deixa tão mais bonito para mim!
Meu amigo, meu cúmplice, amado, amante
Reféns da nossa  realidade
Questões definidas e acertadas
E quase sem querer
A falta que meu corpo faz para ti
É o universo que tens de mim...

Não sei se a força dessa "razão"que é te amar...
Sucumbirá à ilusão da paixão,
Mas a saber, o  futuro é preciso

Espaço e tempo preciosos ao amor que me uniu...
Sem a pretensão de ser-te tua amada...

E estranho é pensar que talvez não pense
Não sinta
Não veja
Não queira
E não esqueça
De mim
Que sou tua
Mas tu não  és meu...

Somos apenas  de nós mesmos...

Imagem de: L'incanto d'amore dei poeti estinti

setembro 17, 2012

-Tecnologia- Progresso Científico- Sociedade (UGF-EAD)



Sinopse: Um questionamento sobre os benefícios e avanço para a sociedade em se tratando de pesquisas e projetos que visem novas descobertas. Qual o impacto financeiro e possível interesse da sociedade em questão, principalmente a brasileira e a dos países em desenvolvimento, que não possuem altos custos livres para estes financiamentos?

 Progresso x credibilidade
Conjecturas e promessas de ministérios de planejamento e centros de pesquisas diminuem a expectativa da sociedade em relação à novas descobertas,  porém é imprescindível que se alcancem e façam-se avanços principalmente na área de medicina e ciência, posto que o investimento hoje garantirá profilaxia, desperdício e até mesmo erradicação de doenças e cura das mesmas que ainda hoje são consideradas crônicas por não terem uma estimativa de descoberta de vacinas ou da cura mesmo em si.
Paralelo a isso estão outros tipos de pesquisas que mediante uma infinidade de outros interesses da sociedade, tornam-se desnecessárias ou abusivas.Há um paradoxo  em países em desenvolvimento,que pedem empréstimos para realizar tais proezas, porém a sociedade em questão destes  mesmos países não entendem o porquê  dos gastos nesses projetos, quando na verdade falta saúde e educação ao povo.
Potências Mundiais e status
Por outro lado estão as potências internacionais que investem seu capital nessas pesquisas e sendo assim, em muitos dos casos conseguem uma evolução em alguma área,no que poderiam usar o capital em outras demandas. Usam a competividade, assim como o desenfreio monetário para que estas continuem sendo as sociedades dominantes.
Lembrando que até um ou dois séculos atrás tudo era muito diferente, mas que homens conseguiram evoluir sem custas e no firme propósito de garantirem à sociedade saúde básica, através de progressos nas medicações, vacinas, descobertas de doenças e erradicação, tecnologia “saudável” e meios de comunicação abrangentes e de reais valias.
O Futuro do Mundo
Hoje a nossa principal meta é a sustentabilidade e o meio ambiente. Quem sabe haja uma educação em massa e divulgação para que possamos caminhar para um largo e efetivo avanço em métodos simples, porém satisfatórios, que são a conscientização e disponibilização de verbas para que sejam efetuados os devidos e realmente necessários avanços nesta área, para que no futuro, nada disso seja em vão...Ou seja, nosso mundo “evoluído”.

setembro 16, 2012

Meu diário, meu amigo






Às vezes (ou quando levo uma pernada) acho que tenho que mudar...Ou melhor, continuar do lugar onde até então eu havia parado. Daquele lugar obscuro onde você senta, para e determina que daquele momento em diante você não vai mais repetir os mesmos erros, cair de novo no conto do vigário, se enganar com falsas amizades, iludir-se em meio a falsos amores, contar seu cotidiano e sua vida por um todo para quem você acha que de repente virou seu amigo, enfim, todo aquele blá blá blá de sempre. 

Porém escrever me dá um certo alívio, me traz um bálsamo em saber que mesmo eu não podendo contar com mais ninguém, tem alguém que sempre conta comigo: meu teclado.

Eu entendo quando algumas pessoas mais velhas dizem que não têm mais medo de morrer ou não se assustam mais com nada. Estou chegando por aí, porque talvez a esperança em encontrar alguém que valha a pena ou viver coisas absolutamente novas e motivantes em se tratando de relações vai se reduzindo e ficando diretamente proporcional à quantidade de vida que eu ainda tem pela frente: menor

Acho que a gente vai perdendo aquele vigor juvenil em  achar que com você tudo vai ser diferente. E acredite, quando você se decepcionar, a dor no peito vai ser bem menor. Aquela frase famosa e corriqueira: "Eu já sabia", quase sairá sozinha dos lábios sem você precisar pronunciá-la. 

Sei que muitos devem sentir, mas desta vez a quantidade de vezes é que me assustou. Sabe aquela pontada que te dá no peito toda vez que você lembra das palavras remetidas à você...E num misto de constrangimento e decepção você mal consegue murmurar alguma coisa de tão estupefata que você fica? E a pessoa desenfreada em suas questões, querendo liberar e você, freada e toda trabalhada na educação, apenas diz: Ok!? Então, isso se chama "briga de egos". E não que eu seja tão educada assim, é que simplesmente você se sente injustiçada na mesma proporção em que a outra se sente " por cima da carne seca" só porque não suporta um dos seus maiores defeitos: ser humano.

Ontem ouvi algo que me fez repensar e adaptei a frase ao seguinte pensamento: " Nunca estamos satisfeitos com os nossos estados civis. Se está viúva é porque o marido morreu, se está solteira é porque não aguenta mais ficar sozinha, se está separada fica lamentando o passado e deixa de alimentar o futuro e viver o presente  e se está casada reclama do marido e da falta de liberdade". Viver cada fase de forma plena e digna é essencial à sua própria liberdade. 

setembro 08, 2012

Trilha sonora pra mim


Platônico amor



Não é poesia
Não se encaixa em declaração
É constatação
Um amor assim
Meio amigo, de homem e mulher
Cúmplices, diferentes, ausentes de nós
Amo-te como sempre soube
Queria você em minha vida
Em meu cotidiano
Em meu corpo
Em mim...
À cada dia que passa, cada escrita, cada sorriso em tela
Meu companheiro, platônico , doce e jovem amor
Que não vê, mas sente, vibra, chora, conhece, brinca, sorri...
Entende, lamenta, admira, torce, esquenta, disfarça,
Sequer está aqui...

Meu conselheiro, meu anjo, meu vértice.
Tudo isso é você  para mim.
Inacreditável confissão:
Nunca nos vimos, jamais nos tocamos
Meu amor de tempos modernos,
Onde se vive o sentimento, não a carne...

Desejo-te como a lua anseia
Em banhar-nos com sua luz intrépida...
Almejo como o sol vislumbra
Em esquentar-nos a face e tudo...

Queria assim, um dia inteiro com você
Um afago, um colo, um carinho e olhares
Talvez seja tarde!
Ou quem sabe o momento preciso,
Precioso e maduro,
Já que estamos sós, em nós...

Teus versos, teus ditos, frases, pensamentos, escritos, juramentos
Sentimentos...
Meu sopro juvenil, meu alicerce, tudo isso sim para mim...
Tantos nomes e codinomes, tantos poemas, missivas eletrônicas
Tantos exercícios de desapego para nos devencilhar
do nosso próprio medo...Amar!

Quantas vezes eu ri e chorei, por muitos dias nem sequer te notei
E você, em meio a uma vida inteira só tua, poucas vezes me iludiu
Sempre reto, preciso e cordialmente charmoso e delicado..
Dedicado, verossímel, infantil às vezes e menos que eu..

Ninguém nos conhece, só nós sabemos de tudo...
Meu Chacal, Meu Dorso Negro, meu menino-Anjo, me bandido, meu amor
Meu amigo...de Mil Anos...

Para F. Mili



Não se afobe, não/que nada é pra já/O amor não tem pressa/ele pode esperar em silêncio/num fundo de armário/na posta-restante/Milênios, milênios/no ar/E quem sabe, então/O Rio será/alguma cidade submersa?/Os escafandristas virão/explorar sua casa/seu quarto, suas coisas/sua alma, desvãos/Sábios em vão/tentarão decifrar/o eco de antigas palavras/fragmentos de cartas, poemas/mentiras, retratos/vestígios de estranha civilização/Não se afobe, não/Que nada é pra já/Amores serão sempre amáveis/Futuros amantes, quiçá/Se amarão sem saber/Com o amor que eu um dia/Deixei pra você. 

Na Ilha



Um fim de tarde
Ou dia todo,
Sol, mar, areia branquinha
Sentir sua maciez, o toque preciso
Da vida, de céu, luar
Um drink, uma dança, amigos
Noite que se encerra em sono bom
Paz, primordial, liberdade, imprescindível
Lindas flores, sabores,
Caminhos arduamente encantadores.
Inexprimíveis momentos
Encontro de rio e mar,
Encontro de mim...
Sabe-se lá por quanto tempo
Quantas luas e tantos sóis
A vida é meu bem maior,
A quero sempre por aqui,
Vívida, límpida, leve, íntegra...
A quero por demais em tempos de vigília
Em que o amor dá sinais e não avisa
Mas que em breve chegará...
Um grande troféu, meu brinde à liberdade e vida que nunca tardia
Mas sempre cedo e lindamente me acorda
Com risos de bom dia!...


Em Praia de Dois Rios, Ilha Grande- Rio de janeiro

agosto 04, 2012

Intocável

Já te acostumei em meus sonhos
Já me acostumei com os teus, de ser-me intocável
Já despejei tantas coisas em você..
Já me cobri de tantas outras que vieram de ti:
Um desenho de você
 em minha imaginação
Tantas pessoas em uma só,
 vozes diferentes,
Uma realidade imaginária,
suposição
Momentos de desalinhos,
instantes congruentes...
Doce carinho...
Amizade que  cheira a paixão..

Sem inspiração, sem chão



Não saberia explicar o que sinto...
Tento, sem êxito e pouca coragem, arriscar...
Que sentir falta das coisas que me trazem um vazio,
muitas vezes é bom...E talvez melhor do que ter aquilo que eu sei que é o ideal, mas que tenho raiva às v
ezes e até dá vontade de jogar pro alto por saber que mais uma vez a tal da razão prevaleceu. Sejam meus conceitos ou quem está ao meu lado. E isso não considero ruindade, acho até que é muita bondade abrir mão do coração para ser débil mental. E eu sou uma oligofrênica, porque faço isso umas três vezes por dia durante uns 30 anos. 
E já dizia Paulo de Tarso:“Sei que nada de bom habita em mim, isto é, em minha carne. Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realizá-lo. Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo”. Rom. 7:18-19

Conjecturas

"Eu não critico o amor, até porque já o conheço de diferentes formas. Só custo a acreditar naqueles que dizem que o sentem...Como se dissesse que foi ali na esquina. Na verdade quando se critica o mais nobre dos sentimentos, critica-se a si mesmo, que de tanto desejar e não tê-lo, inventa desculpas para não se tornar infrator e por não ter a capacidade de atraí-lo..." 

"As mesmas coisas se travestindo de novas e interessantes, mas que no fundo não são...Na realidade são sempre o mais do mesmo. E aí vc passa a compactuar com a mentira do mundo que é o fingir que se quer amar, fingir que se quer perdoar, fingir que se quer sentir, fingir que se quer dizer a verdade..."

"O apego dói, castra sua inteligência, a gente fica meio burro, meio doente, meio débil. Mas o desapego, acho pior..É como se vc ficasse sem direção, vivendo o dia só por hoje e matando todos os leões da selva que é amar...Ou achar que ama...Ou inventar...Não sei...
O desapego tenta mudar o imutável e quase consegue..."O passado agora é o seu presente, pois só as lembranças importam, o presente você deixa para amanhã, porque não consegue seguir sua vida hoje...E o futuro não existe mais..." 

julho 23, 2012

Doce diário...Doce presença das palavras


De repente me vi assim, sentada, esboçando, em meio à xícaras de café, às vezes vinho...
Como nessa foto, que me motivou a escrever ...
De repente me vi produzindo, me dedicando mais ao blog, de férias, respondendo emails, moderando, ponderando e me atracando com as palavras...
Sabe quando você tira um dia inteiro para  ser sincero consigo mesmo?
Louvar pela tua vida, gritar pros quatro cantos de quem você gosta, o que você tem verdadeira ojeriza, o que te traz calma...
A música que você gosta, a matéria que você quer cursar, as pessoas que você não quer mais na sua vida, o fluxograma do teu viver de agora em diante.
E deixa tudo de lado, não se importa com o que está passando no mundo, sequer porta afora do seu universo particular...
Para, não pensa muito, chora ao ler um verso, sorri ao olhar uma frase. Um misto de sentimentos que borbulham, palavras que saltitam, sentimentos que latejam, decisões que são tomadas. Custe o que custar, haja o que houver, elas nunca te abandonarão...
As palavras...
Porque palavras são muito mais que símbolos, mais que letras ou sílabas, são desejos.
Palavras são como dialetos do cérebro e do coração, que não podem falar, mas usam-nas.
Palavras tem o dom de magoar, de salvar, de ferir, de machucar a si mesmo
Ficam impregnadas, enclausuradas, se acaso não são de bom grado lê-las...
Palavras também mentem, acusam e sofrem...
Palavras, palavras, palavras
Assim como o silêncio, elas tem poder
Assim como o grito, as forças humanas e desumanas, o metafísico
Assim como a força que vem de dentro do teu peito pra dizer um Não, quando você quer driblar o tal do coração que insiste no sim.
Assim são as palavras...

julho 22, 2012

Um poema, uma história, uma declaração e um sonho

Hoje reli nossas missivas,
 reli nosso passado distante de vinte e poucos anos atrás,
 reli nossos emails, reli nossa angústia, revivi suas tantas e tantas histórias de amor,
 suas palavras no Castelo do Vinho sobre quem mais amou...(E não era eu...rs)

Hoje eu inventei diálogos entre nós, 
ensaiei frases e ditos, ensaiei beijos no espelho
pensei numa dança de amor, inspirada em tardes do sul e cariocas
onde  fazíamos questão que os espelhos nos vissem, 
assim como todos os móveis e cômodos da casa...

Hoje eu gritei pra todo mundo ouvir, te "enquadrei", como disseram
Empurrando-te para um vazio no mundo, uma felicidade infinita
ou uma veste eterna do seu velho jeans...

Não sei se esta é a declaração, o poema ou a história, mas o sonho sei que não é.

Hoje eu falo do que o tempo e a coragem fizeram para eu estar aqui digitando um novo capítulo da minha vida: CERTEZA

Certeza ao ficar cara a cara com a tela e ler-te, ver-te, ter-te, ser-te...e inerte...
Certeza em de repente tudo ficar  pequeno diante de coisas que antes eu achava tão absurdamente grandes: as minhas dúvidas, o meu auto controle em manter a posição defensiva, os meus medos, as minhas inseguranças...
Sinto certeza mais do que nunca do que quero, do que sinto e principalmente, do que não quero mais para mim...( Viver vetada de ti)
Não importa quantos "nãos" insistam em alargar a distância, estreitar as diferenças e jogar no abismo a esperança. Não importa o que outros tentem, em momento de desespero, vetar, privar, proibir, coagir, chantagear...Porque o que eu li e reli hoje...Ah!! Não dá pra imaginar que fosse ventania de paixão...O que eu reli com outros olhos e tato, tocando em tua escrita, sei que era amor...E sei que amor, muitas das vezes, fica ali, guardado pra sempre, triste, esperando o tempo passar, esperando a saudade parar de dilacerar...

Mas também que sei que muitos morreram sem amar, talvez sem serem felizes no amor, amarem menos do que são amados, amarem mais do que são ou se amarem reciprocamente.
Sei também que um universo de outras possibilidades e mudanças pode estar reservado  para aqueles que amam...
Como sei que o amor se transforma, muda ou quem sabe descobre-se que de fato era só uma "epifania" de delírios apaixonantes...
E de repente eu mesma me fiz um questionário de várias perguntas que antes com certeza minhas respostas seriam talvez!E me vi respondendo: sim, sim, sim, sim, sim, sim,sim...
Seria o amor um eterno SIM?
Porque se for então eu amo...
E isto não requer atitude nenhuma...
Requer apenas que você saiba. 
Esta é minha declaração...



"Esta é minha Revelação"...



Meu sonho

Sonho de mulher, de musa, de criança, seja o que for
é sempre sonho, um pedaço de realidade que a gente inventa
Sonho de vida, de amor, de ser apenas livre
Sonho de projetar o que a gente anda flertando
como flores, vento, poesia, amor ou ilusão...
Sonhar que está sonhando..
Quer realidade melhor que esta?
Imaginar-se ao lado do que sempre idealizou
e embora saibamos que não somos perfeitos
sermos certos um para o outro.
Sonhar que tudo não passou de um sonho ruim 
e que em certos momentos eu errei, você errou, 
erramos, mas isto não nos isenta
da presença de se ter sonhos!
Um sonho: ver-te
Dois sonhos: teu olhar, teu abraço
Uma realidade: teu desejo...
E quantas e quantas e quantas e quantas noites
sonhar que  vivemos...
Não o corpo, mas o poema...
E do sonho que foi quando se declarou a primeira vez!
Eu, meio menina, você homem feito...
Um sonho de amor...
Que ainda não se concretizou...


"Amor  que constrange
 amor nosso
 não requer explicações, nem paradoxos

Amor de estandarte, que se apresenta em vitrine
vive às custas de palavras,aleatórias e sublimes
e seus textos montados, que analiso, discorro e pauto
me conquistam três vezes por dia...E não me exausto!


É também um santo amor, santo e profano
profano no realizar, santo no sentir
"Mil antares pra te dar"-  verso especial que me inspirei em ti
Um amor para recordar e que nada tem de novo
as mesmas promessas e medos, os mesmos desconfortos
A mesma alegria em rever quando se conta os dias de chegar
as mesmas bocas que se encontram e o mesmo sussurrar...

Dimensão através da razão, que tomou vida e se propagou
do auge dos  quinze anos até nossos novos cotidianos
Uma valsa de debutante, uma antiga namorada e bicicleta na qual andava...
é isso que tinha de ti
Uma menina bonita e acanhada, sentada no portão de casa
e que logo cedo casara...
é isso que tinhas de mim.

E agora  vejo um sol
E estrelas e mar
a nos contemplar
filhos, casamentos e vidas
que se fizeram até nos encontrar
Não sei se é  muito para te dar
mas de uma coisa tenha certeza:
 é meu leve caminhar..."
09/08/10
http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdeamor/2426933

Esta é a história...


'Nada que eu disse foi mentira... e como o tempo sempre foi meu aliado no que escrevo...
você jamais precisará ser perdoada por mim...
pois sempre soube do futuro que sempre nos espera...'

julho 19, 2012

Tão ácida


Tão ácida...
Como chuva na Índia
Como fruta cítrica
Como eu mesma...
Inundada de culpa, remorso
Enchente de situações
Confusão de sentidos
Silêncio desonesto, grito sofrido...

Entre o escuro da noite, logo durmo
Pego no sono, sonho contigo
Um frenesi de emoções,
Uma lágrima,  quero que caia...
Choro compulsivo,  quero que saia...
Mas  estou tão  ácida...
Como uva passada
Como sulfúrico
Como eu mesma...

Meu pensamento em ti
Vai só de quando acordo,
Até ao deitar-me
Vai só de quando durmo
Até eu sonhar
Vai só de quando eu como
Até vomitar...
E eu vomito você,
Porque eu tô muito ácida...

Como chuva
Como apatia
E sua insensibilidade...

Sem esperança


Hoje eu queria um dia morno
Uma canoa, dessas de filme
Um lago calmo, um amor ao meu lado
Penteada, vestido adornado
Leves ao vento fresco, brumas...
Algo que me desse esperança
Livrasse-me desse cotidiano honesto
Uma calmaria de outono, quem sabe
Um homem sem medos, sem remos
Que soubesse ver o mesmo que eu
Quisesse deitar e olhar para o céu
E durante a tarde ficar...
Sem se preocupar com as horas,
Sem me olhar e enxergar fogo,
Apenas brisa...
Flores, vento leve
Flertasse comigo, travestido de sinceridade
E esquecesse o que  necessito,
Mas alimentasse minha esperança...
Que bom se este homem fosse você,
Mas não é...
Que bom se eu fosse esta mulher,
Mas não sou...
E sonhos existem...
Dormindo ou acordados
Evisceram de nossas mentes,
Que bom se fôssemos essa epifania de cenas
Em mosaicos, peças pequenas

Já não me alegro com o futuro distante
Vivo o presente, pensando na estratégia
de ludibriar o passado
Que teima em me confrontar, me encostar na parede
Fazer-me pressentir o que de fato se tornará...
Meu amor é só, posto que tu te ausentas de mim sempre
Meu amor é impossível, mas nem sei se amor é...
Falo de amor porque escrevo em versos
E o que seria dos versos sem amor?
Porque o que sinto hoje por ti
É falta de esperança...
Em continuar, em ser-te tua quando queres...
Desesperança em ver-te e saber que daqui a algumas horas
serão momentos quase  fúnebres...
Nem de dor posso dizer,
Mas de falta de esperança...

Dialogando com Clarice Lispector




Não me canso de lê-la, admirá-la, entendê-la, viver Clarice. Impressionante como tudo o que ela escreveu em alguma parte me identifico. Quando eu era adolescente, já ouvia falar de Clarice, mas sempre como uma escritora infantil e quando dei por mim em tentar desvendá-la, descobri um mundo novo e tão comum ao mesmo tempo...! A diferença é que ela tentou, mesmo que inconsciente em saber que seria uma das escritoras mais lidas e admiradas do mundo, ela tentou ser ela mesma, exteriorizar toda essa nossa dramática entre ser e viver, amor e egoísmo, auto conhecimento...Acho que é porque no fundo sabemos que todos nós usamos máscaras, mesmo que sejam aquelas simplesinhas, de bailes de carnaval..rsrssrsr
Morreu cedo, aos 56 anos, de câncer. E aí eu paro e me pergunto: Poxa, será que o câncer veio disso? De tantos questionamentos, talvez infelicidade? Ela parecia ser uma mulher de olhar triste, muito incompreendida...
Sabe, quem sou eu para fazer comparações, mas eu a entendo...Às vezes temos tudo para sermos felizes: filhos, saúde, marido, amigos..Mas não sei, é um vazio aqui dentro, um grito abafado que insiste em se alojar no peito...
Já tentei buscar a cura pra esse "vazio" de tantas formas...Homens, religião, trabalho, máscaras...
Sinto que morrerei sentindo isso e sinto também que na verdade todos temos, mas no geral nos acostumamos com isso e essa condição se ameniza de acordo com certas felicidades que vamos tendo e encontrando no meio do caminho. Não chega a ser angústia, não é tristeza de todo, talvez uma incompreensão generalizada dos porquês: Por que estou aqui? Por que tem q ser assim? Por que, por que, por que...
Quando na verdade bastava eu viver e fazer como todos (ou quase) fazem...(Elayne Aguiar)


Se eu tivesse que escolher ser um outro alguém um dia, eu escolheria ser Clarice...Amo suas frases, amo seus pensamentos, suas loucuras, seu jeito meio sensual de ser misteriosa, seu nome, seu sotaque, amo Clarice...(Elayne Aguiar)


Alguns links e sites para quem deseja conhecer um pouquinho mais de Clarice Lispector: http://www.releituras.com/clispector_bio.asp

http://www.diversificando.kit.net/postclarice.htm







... Uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi a criadora de minha própria vida. Foi apesar de que parei na rua e fiquei olhando para você enquanto você esperava um táxi. E desde logo desejando você, esse teu corpo que nem sequer é bonito, mas é o corpo que eu quero. Mas quero inteira, com a alma também. Por isso, não faz mal que você não venha, espararei quanto tempo for preciso.
(Clarice Lispector)





Romances:


Perto do Coração Selvagem (1943);
 O Lustre (1946)
 A Cidade Sitiada (1949)
 A Maçã no Escuro (1961)
 A Paixão segundo G.H. (1964)
 Uma Aprendizagem ou Livro dos Prazeres (1969)
 Água Viva (1973)
  Um Sopro de Vida - Pulsações (1978)

Novela:
A hora da estrela (1977)

Contos:
Alguns contos (1952)
 Laços de família (1960)
 A legião estrangeira (1964)
 Felicidade clandestina (1971)
 A imitação da rosa (1973)
 A via crucis do corpo (1974)
 Onde estivestes de noite? (1974)
 A bela e a fera (1979)

Correspondência:
 Cartas perto do coração (2001) - Organização de Fernando Sabino
 Correspondência - Clarice Lispector (2002) - Organização de Teresa Cristina M. Ferreira

Crônicas:

Visão do esplendor - Impressões leves  (1975)
Para não esquecer (1978) - contos inicialmente publicados em Laços de família.
A descoberta do mundo (1984)


Entrevistas:
De corpo inteiro (1975)

Literatura  infantil:
O mistério do coelho pensante (1967) - Escrito em inglês e traduzido por Clarice
A mulher que matou os peixes (1968)
 A vida íntima de Laura (1974)
 Quase de verdade (1978)
 Como nasceram as estrelas (1987)

Eu e ela


Sua última entrevista: Hermética? Incompreendida? Confusa? Carente? Apenas  Diva...