Pesquisar neste blog

No mundo

outubro 16, 2015

Tempos de ontem

"Essa ausência de mim
Quando ele me pega em seus braços..brinca de ser meu amigo..
Entre o quê de adolescente e meu juízo q se faz ausente...
Beijos selvagens, que excitam e navegam em mim..
Sem pudor..com ousadia e furor.
Enquanto musicas em desktop- desejos completos ao som do rock.
Esquece-se do tempo,  que no  tempo se perde até novo "dial", frequência de nós dois, estação própria da gente, esporádica e inebriante..q sente falta..fica latente...
Ardilmente voraz..é assim que penso nele..quando chega e o sorriso acontece, meu corpo estremece..."auto se despe"...
 à entrega do gozo intenso..
orgasmo incessante
Desejo constante...
Adoro sua liberdade...e a doçura dos "olhos vermelhos"
Meigo..sexy, meu must do pecado...juvenil , homem, menino..delicado...
De tempos de ontem que se fizeram outros..
Estranhos e conhecidos
Simultâneos e misteriosos...
Pois é assim q ele é pra mim..."



outubro 09, 2015

Não desiste de mim


Ele não desiste: dos meus cabelos, do meu corpo e do meu prazer.. Não sei se o amo, mas já expulsei tudo de bom que existia em mim..
 Ele não desiste... Porque ele é o vício e o verso.. Meu vício profundo... Que me perdoa , me entende, me aceita e me quer..

Mesmo que por momentos em um mundo paralelo
 Entre os lapsos de desejos e lembranças que eu aconteço

 Ele ainda não desiste...


junho 11, 2015

Tautograma- Revelia (repostagem)




Eu paro
E penso
Na paz
Que prezo
Prescrevo
O que paraliza
Meus poros
E é como pira

Que Incendeia
Mobiliza
E alimenta
O prófago
Da minh’alma

Pois é você
Quem me inspira
Faz-me expirar
Explanar,
Proferir
Que sou
Penitente
À espera
De prumo
Paixão
Percepção
Pressurização...

De nós...

E da carne
Que peca
E percebe
A ânsia
Pelo corpo
Paralelo
E preciso
Porém
Purgado...

De mim...

E por fim
Preciso
Prevalecer
Em juízo perfeito
Sem pressa
Apenas
Uma espera
Preciosa
Percuciente
Percussora
Pontual
Preponderante
E pujante...

De Ti...

maio 04, 2015

Perca-se

Perca-se dos amores antigos
de tudo que te fez mal
Perca-se das suas próprias escolhas,
das músicas que te brindaram,
dos versos q te mandaram...

Perca-se entre o presente de uma nova história eterna
entre o legado, o cotidiano e até o trabalho
Perca-se..
Nos tapas na cara, nas frases insanas q te dizem.
Perca-se nas decepções,
nas alegrias também
Perca-se das pessoas ou em uma só que seja..

Perca-se do mundo,
da tua própria razão
Perca-se entre mares bravios e tempestuosos
travestidos de calmaria branda e de águas tranquilas..

Perca-se dos delírios,
do que não fora perdoado por você ter errado a hora certa de ser feliz
Perca-se no tempo, no espaço errante
Perca-se,
perca-se..

Na palavra que te deixa em dúvida se está certa,
de tanto que escreves de forma torpe,
mal e não eloquente (perca-se)..

Perca-se em cabelos,
nas vagas de corpos doados a ti,
perca-se em momentos,
no santo
ou no profano..
Quem nunca se perdeu?
Perca-se ..
no golpe de misericórdia,
no falar menos
( e eu nunca vi o silêncio errar)...

Perca-se no próximo projeto,
ainda q seja: enlouquecer..

Mas jamais e em tempo algum
perca a si próprio.
Nem se perca da tua essência
E muito menos da música que tu ouves e te acalenta..

Em momentos oportunos e vitais,
quase salvíficos...



abril 17, 2015

Underground da paixão
tempestade de lamento
Busca de saída, chances
Músicas que acalentam
 o tormento

A coragem não te domina
Você boicota e resiste a si mesmo
Um copo de morte
boa sorte
nos momentos ruins que chegam
e interceptam seus ouvidos e sentidos

Entre um rivotril e martini
ou Roads, de Portishead
No underground do amor
Você precisa viver o céu cinza
pra crescer
entre pedras e espinhos
e renascer em cor de flor...

Slow motion de ações
pausas pesadas
carentes de compreensão
sitiantes em delírios
esporádicos e secos
incólumes e apaixonantes

Qual o segredo de Kurt Cb?
Quando sei que todos os seus vazios
e subterfúgios
e undergrounds de si mesmo
abriram sua casa para que
um universo  adentrasse nele

No mais íntimo da profanação
de seu próprio eu,
no que chamam erosão da alma...


E
fim...


março 29, 2015

Placebo


Não tenho mais forças

Pra falar , tentar advinhar
Talvez tenha cansado, exaurida de mim
Logo eu, que sempre lutei
Esperneei
Tateei até encontrar solidez
Nas palavras
sentimentos
Nos lamentos de amor
Nos porquês da isenção dos mesmos
 Porque hoje sou chão
terra densa, firme,
mas não tão dura assim...

Eu só queria não precisar
- ouvir-te -
em meio a meias palavras
-falar-te-
o mais do mesmo, quase precisando pedir
-olhar-
e apenas olhar
 e ouvir sua banda preferida do momento

Só pra saber se ela fala pra mim
o que  desde sempre eu senti,
 mas nunca foi.

A ilusão destruiu a utopia de nós dois
e o real consumiu ,
desgastou,
desmagnetizou a alegria e o furor

Sinto-me tão frágil
entre desejos
e lembranças do nada
e cicatrizes de solidão
 delitos no meio da noite
entre novos medos
velhos recomeços
reaprendendo o arrependimento

Que não tenho,
não sinto,
não minto
-sinuca de bico :/-

E quantas vezes um coração pode dizer sim para o não?
Já com medo da verdade
Pode até ruir de tristeza
se esconder atrás de "placebo"...



E sem medo
Deixar-te ir..Pra sempre
Antes de ouvir
a resposta imediata que sempre tive receio...

Porque ele é doce,
 sensível,
 lindo
e leve..
às vezes pesado dentro de si próprio
muitas vezes, como eu
Com medo do tempo que passa...

Entre a espada fria que corta a sanidade
e a maciez da ilusão
eternizando o presente
 no vislumbre do futuro , mesmo em solidão

Ludibriando o passado ,
consumindo momentos,
horas, semanas...
Tempos que preenchem,
o desencanto dos que se enganam...







dezembro 18, 2014

Desertora



Sonhei com ele
E em meus sonhos ele era doce e apaixonado
Havia me trazido flores
Tinha um olhar de afago
Não era distante
Nem ausente
Ao contrário.
Latejava em meus ouvidos o som de seu amor
Ao falar-me
Ria e tocava em minha mão
Pude sentir o leve toque macio das mãos que eu conheço
Que em sonhos tornaram-se mais leves
Como plumas
E macias de veludo
Indescritível é o sonho
Como já é,  metafísico
Surreal
Possui aura alva
Leveza de atos
Daqueles sonhos assim
Que você luta pra não acordar
Onde a ingenuidade habita
A inocência transcende
E translúcidas são as cores
...
E você não vê vestimenta, tempo
Não vê o lugar, apenas cenas
Você não atenta detalhes
Apenas sensações
Não sabe se tinha 15 ou 30
No sonho era apenas essência
Do que desejei no íntimo
Da minha própria razão
De mim mesma, no fundo o que eu era
...
E da tal pessoa em questão...


dezembro 14, 2014

Meu mundo cor de rock


Amooooooo!



Queria te oferecer canções
Como se todas me lembrassem  você
Queria te escrever, dizer tudo que faltou
Aliviar a pressão da dor
Da verdade que trafega
Entre o desejo do sentir e a ilusão do ficar
Penso no tempo que passou
Em pessoas que findaram
E eu achei que era amor
(E talvez fosse),
E como se valesse a pena retocar no que acabou
Puxar meu nome pra fora
Daquele canto do coração que alguém me guardou
Ensaio uma conversa
Conjecturo um pensamento meu
Inauguro um poema precário
Como este, que mais tem a ver com um diário
Prevejo mudanças de tempo
Clima frio em dias de verão
Inércia sentimental
Joguete de sensações
Meu mundo saiu da real
E tem cor de rock choque
É na música que me jogo
Porque é ela que me entende
Sabe tudo que eu sinto
Pra cada situação eu ouço uma delas
Lembro de alguém
E logo esqueço, porque tenho que  lembrar
Que não posso esquecer que tô viva
Pronta para a outra metade
Do caminho da vida
Que emerge em mim em novos rumos
Ousados, desprendidos de formatos
Mas ainda com fé
Não de algo ou alguém
Mas de saber que como até aqui
Quando por lá eu chegar
Ali perto, na esquina do destino
Terá algo que certamente me fará subsistir
Em meio aos dias frios de verão
Em meio às cores fortes
E à força do rock
Porque EU VOU PROSSEGUIR
Estática jamais,
Com aquela certeza
Que a vida é sempre novidade
E que não sou de ninguém
Sou de mim mesma
E mesmo sofrendo ao partir
Almejo e vislumbro uma nova paixão
“Como pescadora de ilusão”
Sou eu assim em mim
Sem amarras, sem lenço
Mas com documento
Buscando um “dial”,
Uma nova estação que me faça curtir,
Um novo som
Que  me traga inspiração
E me vista de rosa shocking


(Ps.: Diga não ao fumo, rs)

novembro 06, 2014

Killing Moon




Deixe estar...
Deixa eu falar com as paredes
Não fala nada..
Às vezes o sempre é hoje 
...E onde está a saudade?
Dentro da eternidade que cabe nas horas,            
da manhã ao anoitecer,
quem sabe no infinito, 
quando falo contigo,
brinco de ser vento forte,
 meu amigo ...
minha brisa doce, 
sossego,
abrigo...



Amizade diferente
Bem te quero inteiro
não pela metade
Porque ele é sensível
Tem mania de  Peter Pan
e eu, pobre de mim, 
não sei  ser Sininho,
 mas pelo menos sou  fã..,
Agora sou só em mim,
cataclisma de mim mesma
medo anunciado,
rota desvairada

Sou desajuste perfeito, satisfeito
e agora com nuance suave
com gosto de liberdade
maturidade, insanidade...

Sou calada da noite, notívaga em divagar
entre devaneios e devagar me aprumar...
Um tanto ausente de mim mesma,


 mas ainda presente em sensações e essências



Conflitos que seguem em frente,
Tentam disfarçar, confrontam a mente
Geram paixão motriz
Que por um triz me encontrou
Quebrou a dureza do meu coração
“Só que não”, rs
E nas maiores loucuras que diz
O dito na cara, sem falsa verdade
Ensina pra mim,
Doma e me toma
Como bebida mortal,
Nos nossos segredos mais loucos, fortes

Que tento acalmar, viraram norte! 


E sei viver paixão 
estagnada
desacelerada, que mexe no coração
Faz parte de mim
Eterna apaixonada
amiga de Platão...
Meu doce diário
(amargo de vez em quando),
Sei sentir o que ele sente
a alma e o cansaço
do coração
Como se o tivesse vendo,
mas só posso escrever à mão.
E confesso que não sei dizer
Se ele pensa em mim,
ao dedicar-me tal canção
Só sei que eu sim
Mas mantenho o tal lance da discrição
De quem gosta 
e teme ser perdida
Esquecida na ilusão do grito
no silêncio aflito,
Entre o escuro da espera
de sei lá o que 
 ou do  nada que fora prometido..
Do tempo e do desejo que se tem
assim como a vontade de permanecer em teu riso...
Isso me rege!
Mas tem coisas que não fluem
e outras que tem hora certa
Pra acontecer-Como diz na astrologia,
o meu signo combina com você!
E quanto aos desejos que me fizeste brotar,
guardo ele em caixas de Pandora,
debaixo de uma lua que mata
e um céu repleto de joias...




outubro 30, 2014

Detox






Desculpas pra si mesmo
Uma boa desculpa
De quem quer se convencer
Que às vezes o melhor que se tem a fazer
É só esquecer
 e deixar as coisas  acertarem...
Ando tão só em mim
E  a cabeça é bagunçada, confusa
Plena em viver o platônico,
Com medo do real e na real
Todo mundo sabe que essas histórias não caem bem
Terminam mal, se não forem cortadas
Pela raiz, pelo menos até a próxima estação
Ainda que sem chão..A gente acostuma!
Mete o pé e vê se apruma!
Você não é mais criança
Cria história, fantasia amor
Testa limites mesmo sentindo dor,
Como diz aquela música,
“Magoa  mesmo assim,
pra saber se é amor...”

Mas dessa vez é diferente
É como se fosse outra pessoa,
Uma parada meio nonsense
Não condiz com quem somos
É um mundo paralelo,
Onde voltar à tona é surreal
Dá pra tampar mais a respiração?
Menos se afogar,
Paixão parasita, doente
Demência sexual
Onde não há regras e limites
Bom senso inexiste
Mas com aura de criança
Meio lúdico, até decente
Paixão detox,
Que fica pesada,
É porque tá passada...
Não viveu o presente
Não viveu o que todo mundo diz que sente
Ficou no ar, pairando entre linhas
Dentro de um próprio universo
Musicada, fadada ao caos, flutuando em versos

Sentimentais,  paranormais
em que nos metemos..
Com  medos,
Segredos  e confissões
Riso frouxo, vício louco
Coisa de adolescente
ou de gente grande,
se é que me entende

Mas com a certeza que vai passar..

Tudo passa (Será?)
Só quero que fique bem
Tenha fé!

E té...<3 p="">

outubro 02, 2014

#hashtag

#línguaCongestionada#intensaDePrazer#UmaNoiteDuraMuito#aEternidadeOuAmanhecer# bomPaixãoAssim#ComoNumClip#QueAcabaNoClic# DeCapuz, à espreitaDobeijo#MakingLove-NonStop# Entre músicaE rock#sex n’ roll EmDose#Não sei de onde vem#esseLado loucoDaGente #queQuaseNgTem#OuQuaseNinguém Sente#medoDaloucura#surreal,animal #com gostoDeFinal#Porque com ele sou livre# masTenhoMedoDaPrisão#E olha que já tentei# religião#sermão# até situações#decepções# tentei relações#finjo que sou eu#invento paixão#tentei até amar#tudo em vão#CrieiExpectativas# tenteipacto#promessa#impacto. #me apeguei ao desapego#sem pressa# E que se dane a sintonia# o que vale é a sincronia# dos corpos#do toque# do mesmo rock# sem sufoco e louco# sem conteúdo e nulo# de qualquerEvidência#megalomaniaOuDecência#quero mais é que se foda#só euEporPrazer#PeloÁpiceNonsense# #parasita sem querer#de mim e de você#ÉassimQueTemqSer#

#Me apeguei 
#em relações
#religiões
#estudo
#tentativas
#lascívia...
#Me apeguei 
#em comportamento
#sentimento
#fórmulas químicas
#desapontamentos...
#Me apeguei
#em sonhos
#perdas e danos
#promessas e enganos
#me peguei em  você...
#Me apeguei aos versos
#ao teu universo
#em bebidas
#noite escondida
#Me apeguei na batida
#da música ouvida
#me apeguei ao rock
#livre do toque
#e jamais sentido
#em meu ouvido
#Me peguei em você....



Perdoa

Perdoa-me, se puder
e sem pudor
se eu te perder
Não tenho o poder
de podar teu amor
Prefiro padecer e perdurar só
purgar em mim a dor de apenas desistir
De nós ...

Perdas e danos,
preciso me recompor
não quero pedestal
quero pardais
na janela, quem sabe...

Eles sim, podem
perscrutar
o que meus pensamentos
persistem
em prescrever
para mim e para você

Pendurar as "chuteiras"
me aposentar de ti
vai ser difícil, eu sei
priorizar sentimentos
proceder em prol
da tua felicidade

Ainda não encontrada...

Ponderar as palavras
para que não pereças
Pudera eu saber fazer isso
apunhalada por mim mesma
parodio minhas próprias convicções
e pago o preço

Não tornar esse amor purulento
pestilento, petardo
tento...
Paixão pandêmica
em "pandarecos"
um pandemônio
não quero...

É finito, acabou
Pandora cansou...

Me deixa aqui quieta
em meus próprios pesares
piegas e piedosos
pifados e pirados
somente equiparados
a mais fúnebre e íntima dor
de se perder um amor...

agosto 21, 2014

Nuances do amor

Gosto de amar e  sou fascinada pela dor de amor...Ela me comove, me sensibiliza, me deixa mais e visivelmente romântica. É como se o amor no tempo presente  e as lembranças fossem  a sobremesa e a dor, o prato principal. Afinal de contas, o que seria de mim se não fosse ela? Para onde iria e o que escreveria? E não que eu seja escritora ou poetisa, mas o melhor amor pra mim talvez seja o platônico, que  nos faz sofrer  por acharmos  que tudo seria  belo se o tivéssemos, mas não o temos... Esta é uma dor diferente, porque é uma dor densa e profundamente pura..e inocente por não ter passado pela realidade do amor possível que na maioria das vezes apela para o seu próprio egoísmo. E não vê solidariedade que seja. Antes, só vê a sim mesmo, porque de fato esperava encontrar em outrem a realização dos seus próprios desejos e satisfação das suas próprias carências. Mas quando se depara com “um estranho”, não o reconhece e foge...
E você? Já se olhou no espelho e viu também um estranho? 



Compilando sentimentos



Preciso do golpe de misericórdia
E preciso falar menos
Às vezes (ou sempre), o silêncio é mais...
E nunca vi o silêncio errar ...
Arrumando a casa, acertando as contas, a vida...
Próximo projeto: enlouquecer...

agosto 09, 2014

Sonho

Um sonho ou realidade? Quem pode saber?
Quando tudo se torna azul, apesar dos conflitos
Aquela velha forma de olhar o amor- por cima do muro..
Sem medos e escancarando de vez , vestindo aquela velha roupagem do romantismo
Mas não sem defeitos..Com muito respeito!

Qual o espaço entre o sonho e a realidade???
Porque a vida é feita de momentos.
Os sonhos são feitos de momentos desejados.
A alegria de sonhar está na esperança do sonho nunca mais findar
A paz que vem do interior, mesmo quando perdemos a ingenuidade, é maior que o vento que tenta levá-la e o sentimento que teima em ficar...

julho 31, 2014

Estupidamente feliz

Não importA quantas vezes forem necessárias   
               
                 Felicidade está no tudo e no pouco
                         Está simplesmente no vestir e se alegrar
        No Lindo sorriso que você pode dar
Entre viagens ou na beIra do mar, é lá que a felicidade está!
                                               Não Conta dias para chegar
É como o ar...Quando você         respIra..Ela chega, fica no ar
   É saúde boa, perdão,amor De filho, festejo
E no lampejo da saudade,é Ali  que a vejo,
que me faz lembrar tempo bom e a Dádiva do  recomeço.

FElicidade é amar
E sentir-se tão amada que até dói de respirar...
É meditar, fazer comida boa, receber e convidar.
Felicidade comove, também faz chorar.
É o desejo realizado, o sonho que é lembrado,
ao amanhecer do sol arraigado..

E na certeza  dE mais um dia findado..
                                                       Seu sucesSo está em reconhecer     que na maioria das vezes ela es em você!
É sentir-se grato,  ter amigos de verdade
não tEr medo da idade,
neM da vaidade.
Nada em excesso, ser feliz é estar em equilíbrio
é ser sóbrio em idealizar e ébrio em sonhar.
Ser feliz, é eNfim estar
de acOrdo com a tal felicidade,inteiro
e na feliz idade,de estar em paz Sempre e nunca pela metade...

















julho 16, 2014

Felicidade

São nos pequenos detalhes que você percebe que existe Deus.
São nos pequenos gestos que você percebe o quanto você é e se torna importante para algumas pessoas..Ou muitas...
É num olhar de relance, mais preso à você, que você percebe que ainda vale a pena amar e se entregar a alguém especial.
É no decorrer dos dias e das horas que você tem consciência do valor que sua saúde e sua família têm na sua vida. O resto é consequência.
A felicidade é feita do cotidiano, dos micro e macro momentos que a vão preenchendo, basta termos a sensibilidade de percebê-la.
A felicidade está em nós mesmos, não em pessoas ou objetos. Está em termos a capacidade de
reconhecê-la em tudo que acima fora falado e sentido.
Mas acima de tudo e independente de como você o chama e o crê, a felicidade está em o Ser Supremo que tudo vê, tudo sabe, tudo pode, a quem eu chamo Deus , o Todo Poderoso.
O perdão, o amor e a verdade nos libertam e consigo trazem também a tal felicidade e paz de espírito.
Hoje eu quero agradecer a Ele, que me conhece..A quem eu não preciso chorar, espernear ou afrontar para que eu seja ouvida, ao contrário, fico aqui em silêncio, só em mim, aguardando a SUA vontade e provisão. E assim tudo de melhor vai nos acontecendo..sem pressa, sem medo, sem dor, apenas fé!!
Que todos possam e entendam o verdadeiro significado da felicidade, de Deus e da fé!!

julho 01, 2014

Mar- céu

Macela
do campo
Ei-la
amarela,
selo de amor..

Amar
Sê elo
Marcelo
Acalma
Será,
meu amor..?

Mar
Zelo
De amor,
meu mel
macela
do campo
assim...
Nossa flor


Elo & Ela
Anelo
Nosso lema de amor
Singelo, belo
Meu
Marcelo,
meu sempre
Amor...


junho 28, 2014

Um presente

Gosto muito desse texto que fizeram para mim. Gosto do glamour e da ilusão que ele traz na própria imaginação do tal escritor. Um mimo agridoce, mas que tem lá suas verdades. Bem real considerando que ele não me conhece, mas muito bem ao que escrevo. Sendo assim só tenho a agradecer e admirar sua ousadia e intrepidez.  

Ela é um mistério, que vem se revelando a cada momento... Não sei dizer se a conheço, só sei que me agrada e que me faz esquecer do tempo. Não sei se do bem, não sei se do mal, se verdadeira ou surreal... Só sei que intriga, convida, seduz e isso é real. Não faço perguntas, vivo cada ilusão que me oferece... A quero bem, seja quem ou como for, só queria que soubesse.Que um homem pode até deixar de gostar de uma mulher, mas ele nunca se afasta realmente, pois ele gosta de armazenar saídas enquanto vive novos caminhos, mas aí quando ele se perde, sim, ele  corre para o escape.
Já ela...Com o sentimento dele, ora o alimenta, ora o desanima, não o quer de fato, mas também não quer perdê-lo.. Uma boa ração para o seu ego...  Mulher que dança e instiga... Sensual por natureza, sua verdade intriga...
Num sorriso encanta, de bem com a vida... Doce e surpreendente, atrevida... Amiga presente, fascinante e ardente... Provoca, convida, nada contra a corrente... O que seria respeitar? Respeitar o que vive em nós ou o que esperam de nós? Sonhos são livres, são o que nos definem...! Às vezes  um anjo,  nem bom e nem mal, mas capaz de seguir ambos os caminhos.
Suas palavras são doces, mas com um gostinho amargo que seduz.
Não oferece amor, mas o faz crescer com facilidade. Sabe fazer florescê-lo, mas parece ter o dom de alimentar o ódio, mesmo que sem intenção, o que o alimenta mais ainda a sua magnitude, pois até o seu mal é nobre e os machucados, acabam se mostrando incapazes de lutar contra e nesse momento, a conquista está selada.
 Mas até o homem mais feliz com ela... e ela não é capaz de ser fiel ao seu próprio coração. O beijo de Pandora. A beleza que convida, a essência que abate. 
(Autor: F. Milianos)

junho 19, 2014

Da janela

Da janela
Não mais da linha amarela
Agora do oitavo
Entre redes e trânsito
Chuva e mar
Pessoas inertes , gritos de gol à frente
Penso em tantas coisas...
Na vida, em paz
Uma lágrima que cai...

Com os dedos entrelaçados na rede
Cabeça recostada, vento forte e frio
Penso em castelos
O quanto brincamos de erguê-los
E desmoroná-los depois..
O quanto lançamos
palavras ao vento,
movidas por sentimentos
mesquinhos,
mas  verdadeiros e de auto-defesa
Como se precisássemos,
para aliviar a pressão exercida
seja lá pela areia que tacaram em nossos olhos
ou quem sabe chutaram este mesmo castelo,
precisássemos defender nossa paz
e a liberdade de sermos pós-errantes
em busca da mesma que a nós antes era tão suprema,
suprassumo de tudo que chamamos livre e leve..

 Que todos possamos sentir essa mesma paz...
Ninguém é bom o suficiente ou mal ao extremo.
Somos humanos, perecíveis num estalo
putrefatos em horas...
 O arrependimento vem em lascas
Mas o sentimento, a alma, ao contrário da carne
Este não é perecível
É dinâmico
E ao mesmo tempo fica estagnado
Movido por ações e delimitado pela paixão.
Ai de quem nunca sofreu por amor
Está fadado a morrer sem saber que dor
É essa, que força estranha é essa
Que te faz sair do prumo
Ficar sem rumo..
Desistir, persistir...

Ser penoso em maltratar-se
Sem pressa e ao mesmo tempo com as garras da convicção afiadas
Sentindo-se também injustiçada
mas ferina,
só Deus conhece
o interior e seus pulsares.
E em arrependimento o Espírito grita
com gemidos inexprimíveis.
Sofre, mas continua agarrada à rede.
Com seus dedos entrelaçados..Pele seca, pálida e trêmula

Só em sua própria sinfonia melancólica da depressão
latente e vigente em dias de trovão
relâmpagos e nuvens espessas.
Mas sempre em esperança,
sabendo que o sol ressurgirá
para todos, cada um em seus devidos lugares.
E eu espero que sim..
espero o dia de sol.
espero este dia..
Espero somente.













junho 16, 2014

A sutil diferença- dedicado





A sutil diferença entre o antes e o depois:
Antes parecia tão enevoado...Você tentava adivinhar o que ela teria vivido ou escrito e por quê...E agora incomoda saber que o passado foi feito presente e serve de alimento e inspiração para seu próprio escape.

A sutil diferença entre antes e depois...
É que antes você era o expectador assíduo e se admirava e elogiava...
Hoje continua expectador, mas sabe e se vê como personagem principal. Bom ou ruim, vital ou letal, lembre-se que mais importante e justo que se envergonhar, é sempre olhar para o passado como algo MUTÁVEL, sim! Sim, mutável a ti interiormente, mesmo não sendo cabível mudá-lo em atitudes desconexas, mas mudá-lo em novas percepções, amadurecimento e crescimento pessoal.

A sutil diferença entre o antes e o depois...
É que antes o tempo parecia imbatível, se arrastava, maltratava...Imagino quão duro e árduo teve que ser a ti fazer-se dois ao lutar para ser você mesmo e concomitante a isso ter que ir jogando fora a bagagem pesada que eu trouxe aos seus ombros...
Agora você é livre, está leve e driblou o acaso..Ludibriou o tempo e jogou a ilusão no porão frio e no mar do esquecimento ...

A sutil diferença entre o antes e o depois
É enfim a certeza que se fez em mim
Quando penso no antes, enquanto deitada olhava para o teto e pensava no futuro incerto
Quando foi-me retirado a admiração,
o zelo,
Isso sim depois veio certo...
Agora, pois, ainda que me tenhas retirado os teus atributos e sentimentos a mim,
Não retiraste de dentro da minha alma o que antes e depois sempre permaneceu o mesmo: 
O amor..E a ilusão.
Sim...Viver de ilusão é como alimentar meus sonhos,
É transgredir a triste realidade que me mortifica a cada dia,
ao pensar que amor é esse? Que não tem dia nem noite, não há espaço nem tempo, não há esperança...
apenas a lembrança...

Entre a sutil diferença...Entre o amor de agora e antes...
  



Há muito mais entre o ser e o pensar. O nosso coração é um mar de segredos indecifráveis...

686 leituras- Sonhos Azuis-dedicado

"Perguntei ao tempo se isso um dia isso vai acabar e ele me respondeu: deixa eu passar!"...(Elayne)

junho 14, 2014

Cicatriz-dedicado

Há quase um ano, foi por um triz
meu amor se desfez,
minha ilusão se transformou
em matriz de cicatrizes
Que não se apagam como giz,                                          
Enovelam-se como tatuagens mistas,
Em todo o corpo, na alma, coração...
 Meu ego não suportou
o  ar de confusão..E eu, como atriz
atuei mais uma vez num filme de ficção.
Como criança indefesa, mergulhei nas profundezas
de um mar aberto e vil, travestido de águas calmas e pueril.
E como verniz, dando brilho à história que começou,
elas estão por toda a parte, latentes.

E quando veio a onda forte e o vento quente
Veio coeso o corte profundo
Que dividiu nosso mar em dois mundos
E acabei por infringi-lo e apartá-lo
De mim, de ti, ao desenlace da verdade
Cruel , que de praxe fingia ser  mel...

Mas foi fel...

Até as gotas de dor secarem
ao máximo extraídas de tanto que fora falado, chorado e aceito
 o final do concerto é o que se tem agora
Uma felicidade vestida de realidade que outrora
a mim foi dita falta de sorte...

E uma cicatriz.
Que por outros pode ser superada
esquecida, fingida,
mas que por nós, ainda que distantes em tempo e errantes em espaço, como dantes
jamais será esquecida.
porque não foi encontro de corpos, lindos ou não, mas de almas
que mesmo em transgressão,
 não se constrangeram em  amar.

Antes, o que nos fizeram distanciar,
fora meu próprio medo em desenganar,
aportar para a morte, afundar...