Pesquisar neste blog

No mundo

novembro 07, 2010

Seshat, mulher dama

(Postei como erótico porque além de alguns termos e situações específicas, quis um texto forte-talvez um conto gótico?surreal?terror?)

Seshat, mulher dama

Seshat, Seshat
Linda, mulher dama
Traiçoeira, poluta
Tece armadilhas, desvenda tramas, luta
É absoluta!
Queria uma vida humana, doce
Agora já é mulher, não de Frank, de todos
Está incorporada, flagelada, “clichetada”
Imperdoável e dissoluta,
Talvez agora uma puta, triste mas
Vista-se! Ponha teu salto dez!
Batom escarlate, provocante decote!
Cabelos castanhos, sentada em cadeira giratória
Metralhadora em punho, acende um havana
Quem se habilita? Levanta, pega sua valise, negra de couro
Charuto na boca, fumaça espessa, abre-a sem pressa
Seus dotes, calça de vinil, apetrechos
Chicotes, "tchaco", algemas, laços
Correntes e ganchos, cuidado!
“No more words” -perdeu a fala, deusa robótica
Eles a querem, existe uma fila...ainda que sintam dor
Muita dor...mas estão passivos , o comando é dela.
Arruina-os, exorciza-os, dilacera-os, estupra-os e fecha a mala
Joga os cabelos, veste-se, pisa em seu fumo
Em sua vítimas, cospe neles.
Caminha por sobre eles, com o salto fino
Em seus olhos, suas caras, alguns ainda em êxtase
Outros mortos. "Frank morreu..".
Ela está revoltada, agora precisa de uma arma, vai se matar.
“Não! Não! Não se mate Seshat! És minha chama, sei que ainda ama!
Bella Donna!Conheço a tua fama! Mas vim te salvar! Meu nome é Reuel!
Não sou anjo nem deus, sou –te apenas fiel! Ouvi o teu chamado...
Agoras venhas para cá, dê-me a arma, solte os inocentes, agora somos só nós dois...
Dispa-se sem medo, sou teu maior segredo
Não usarei teu amor, tire a maquiagem, a roupa indecente
Você não é boneca, é gente...
Te darei banho, cuidarei de você, mas precisas querer
E sendo assim viajaremos juntos, onde estaremos seguros e ninguém vai nos deter..."
Ela apenas obedeceu. Mas antes de sair olhou para todos eles, estavam ainda todos inertes pelo seu feitiço...

(...)

"Uma mulher que perde seu amor não necessariamente deve tornar-se uma leviana ou louca, infame; mas talvez passe por momentos difíceis, infernos astrais, demônios habitam e rondam seus pensares; ela precisa exorcizá-los, livrar-se das neuroses que a sustém, ela pode enlouquecer caso não volte a acreditar no amor...e usa artifícios, usa métodos ilícitos do coração a fim de não mais apaixonar-se, agora tem medo de se machucar, de se perder...nada fala, apenas pensa, conjectura e traça seus próprios caminhos...e talvez chegue alguém que a desperte para um novo recomeço, um fôlego novo de vida, de amar, de recompor-se..."-É isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário