Pesquisar neste blog

No mundo

setembro 14, 2014

Dolce Farniente

Nossa! Como estou me sentindo leve e soberana hoje! Fez-me lembrar do filme de Julia Roberts e para mim um filme no qual muito me identifiquei- "Comer, rezar e amar". A minha cara! A personagem parece comigo, com os mesmos questionamentos, a busca por amor, religião e por si mesma. Ela também gosta de escrever e vive em meio a dilemas existenciais e sentimentais. "Ruínas são um presente para a transformação". Uma das melhores frases dela no filme. E hoje estou no meu momento Liz Gilbert, quando ela descobre o doce prazer da ociosidade e da gastronomia. Estou assim... Dolce farniente...Curtindo-me, namorando-me, amando-me e renovando-me.... Sou a mulher comida! Músicas, letras, conversas, telefonemas, casa, sanduíche, um chá gelado, sem stress, cuidando da pele, cabelo, mente, me sentindo!
Ontem foi tão gratificante! Tão sublime! Tantos in e retrospectivos momentos antes e posteriores à meia -noite! Foram os meus vinte e cinco minutos. Cinco antes e vinte depois...
Bem, vou escrever mais detalhadamente sobre isso, porque hj eu quero falar de mim, meu amor maior e próprio, minha vida desequilibradamente certa ou quem sabe certamente desequilibrada. Lindamente questionável ou quem sabe questionavelmente linda. Surpreendentemente ilimitada ou quem sabe ilimitadamente surpreendente. E que de janeiro a janeiro cada dia sua sentença, cada sentença o seu dia- de levar a sério ou até mesmo plainar sobre as libélulas da poesia. De fevereiro a fevereiro sambar até a madrugada ou até mesmo madrugar em pensamentos adubados e mentes férteis ao imaginar o quão poéticos são meus próprios dias, dias de mim. E de março a março, assim como abril a abril, vou vivendo e conciliando e tecendo e escavando e escrevendo e mortificando-me e vivendo...E é isso que é o bom da vida: novos conceitos, pragmatismos de mim mesma, sem  preconceitos...E não interessa o que vem à minha mente. Esta sou eu, em Rio de Janeiro, 14 de Setembro de 2014.



Repostagem

setembro 07, 2014

365 voltas ao redor do sol-1 ano

Pensar que há um ano atrás eu chorava com esta música, mais uma vez meu muso da estação, o tempo, me brindou e me fez ensinar novamente o poder das 365 voltas do planeta ao redor do sol.
E eu diria que além disso, o meu navio tem direção sim. Cada vez mais certa em o alvo acertar-  eu mesma. 
E eu acho engraçado que essa segurança e certeza que vai me dominando , ao mesmo tempo vai dando um medo em desacreditar, um medo na pessoa a estar, um medo de simplesmente não errar! Ou seja, porque a gente já está se auto lapidando e como bom condutor, já vê lá na frente o que está a lhe esperar. Sofre e desacredita por antecipação. Não tenta, não se comove, não erra em tentar e nem sofre por desamar...
Como disse há uns dias atrás no Facebook:Cansei de vociferar sobre opiniões próprias e alheias. Acho que o ego vai acalmando e a gente não sente tanta necessidade de se expor também ou de expor o que realmente pensa a respeito de muitas coisas. Mas aqui é meu reduto, onde me escondo e ao mesmo tempo me faço presente. Confesso que estou... Calma. Mas com grandes expectativas. 
É certo  saber que daqui a alguns anos ..( ou muitos), tudo estará exatamente da mesma forma de como você deixou na vida de alguém, mas na sua, se depender dos seus objetivos e de saúde e paz, certamente  na sua não. Porque é pra frente que se anda! 
Mas eu deixo sim, meu rastro, meus textos, datados, bem orientados e inesquecíveis para mim e para eu lembrar, relembrar, reviver os bons momentos e também aprender com os maus. Só tenho certeza de uma coisa: Deus faz tudo certo. Se não fosse, não tinha sido tantas coisas, não é mesmo??
"Porque cada verso se transforma num universo pra mim, quando se vive bem um amor..Ainda que este amor tenha trazido dor, ainda assim valeu a pena vivê-lo e lembrá-lo...Forever."
***********

Ganhamos medo, receios e no meio disso tudo..Não é só o amor q muda..Nós também mudamos..#Mili

Depois que você tenta novamente com a mesma pessoa..Uma, duas vezes que seja, pode ter certeza que não é mais amor; é convivência ou conveniência. Porque ainda que você tente, nunca mais os beijos serão iguais, o toque será igual, os pensamentos serão iguais. Acabou a ingenuidade, acabou a"genuidade" , acabou tudo. Acabou até a vergonha na cara. #Elayne


Sabe aquela pessoa que se traveste de quem ela não conseguiu ser, simplesmente para ocultar uma dor e despeja nos outros e na cara de quem lhe fez sofrer uma pseudo força e autoestima  que você sabe foi também responsável por isso? Então, não sei se rio ou se choro..:))) :(((
Porque no funda dá pena e ao mesmo tempo você pensa: Poxa, tenho um bom poder de persuasão, porque chorou, se descabelou, não gostou,  mas sua vida agora se resumiu  em "tentar" ser você.  
E não que você seja foda, vai ver ela só precisava mesmo de uns trancos.. #Elayne

Acho que somente os relacionamentos entre pessoas com boa autoestima  dão certo, pois na maioria das vezes os dois são egoístas no mesmo patamar,  cada um vai seguir seus objetivos sem pagação de paixão ou sentimentos de inferioridade, porque  eles se acham demais e simplesmente estarão bem com suas escolhas e com as pessoas que não lhe dão trabalho nem fazem cobranças. E é claro que dar certo não quer dizer que sejam felizes.
Já os inseguros vivem postando fotos lindas no facebook pra todo mundo morrer de inveja e ficar torcendo para que eles se fodam...Vê se não é assim..rs # Milli/ Elayne
E puxando o gancho: achei verdade nisso:

 Quando uma pessoa posta foto no face de casalzinho e a outra não , bem,  nós já sabemos quem é o otário da história.