Pesquisar neste blog

No mundo

maio 02, 2014

Redescobrindo o Rio





Então.
Adoro falar sobre paisagens, viagens, amores, sensações e vivências, pois afinal aqui é meu diário.
Quero compartilhar um pouquinho com vocês meus quinze dias de férias com meu namorado e pasmem, aqui no Rio mesmo. O que posso dizer é que literalmente redescobri o Rio. Não por não conhecê-lo, mas principalmente por reconhecê-lo de uma maneira mais romântica, explorando os cantinhos que no nosso cotidiano acabamos esquecendo de visitar e principalmente, de desfrutar.
Talvez pela rotina, pelo fato de morarmos na cidade e já estarmos acostumados, o fato é que estas férias me deram um novo fôlego carioca e quero mostrar um pouquinho do nosso roteiro, baseado até na Guia Lonely Planet Rio, que ele trouxe pra cá. Antes de começar, devo apresentá-lo como meu  brasileiríssimo italiano, nascido em São Paulo e morando em sua Itália há muitos anos,  mas sempre e apaixonadamente enraizado à nossa cultura brasileira, música, idioma e natureza, coisas que ele ama demais e as guarda com zelo em seu coração.

No Pão-de-Açucar


Nosso primeiro dia, após alguns meses, foi a ida ao Pão-de Açúcar. Falar que foi deslumbrante parece clichê, mas realmente o passeio foi muito agradável e tranquilo. Digo isso porque ficamos horrorizados em como visitar o Cristo literalmente virou um calvário, um sacrifício, diria. Pra começar a minha dica de ida ao Cristo fica por conta de você se programar para ir em algum dia de semana e logo pela manhã, com tempo firme. A penúltima vez que fui não tive problemas, pois mesmo indo no domingo, consegui apreciar o passeio, tirar fotos livremente e sem filas. Vocês não tem NOÇÃO de como está confuso e desorganizado o novo sistema de transporte por lá. Não se pode mais ir voluntariamente com seu carro até as Paineiras e pegar uma van. Agora é uma empresa que monopoliza todas as subidas e descidas, assim como os bilhetes e para quem também sobe de trem.
Não se sabe ao certo o que influenciou este "boom" na super visitação. Se foi o preço acessível ($32,00), se a população turística em alta devido aos jogos da Copa ou até mesmo devido à moda que está em visitar o Brasil/Rio de janeiro. Pode também ter sido  o fato de termos ido tarde e em pleno sábado de feriado, mas o fato é que conseguimos como quem ganha um torneio. O passeio se tornou exaustivo e maçante. A fila para o bilhete tinha quase 500 metros. A de entrada e subida na van , sinceramente ia até bem para dentro das paineiras, atravessando todo o estacionamento e continuando pelo meio do mato, com ataque de mosquitos , sem água, poucos vendedores ambulantes, sem poder sentar. 
Quando enfim conseguimos subir, não conseguíamos sequer caminhar e era um custo tentar chegar na mureta para apreciar e tirar fotos, visto que se tornara intransitável. Neste momento as nuvens já encobriam o monumento e mal pudemos vê-lo, mas deu pra registrar este momento:

Viu como estava vazio? rs

Mas voltando ao Pão de Açúcar...O preço já foi mais salgado: R$ 62, 00, mas muito tranquilo. Lindas fotos, agradabilíssimo. 

Praia Vermelha na enseada

Depois, na descida, fomos até a Praia Vermelha. Há quanto tempo não ía lá! E também não tinha reparado alguns detalhes que Giam, com sua câmera, ia registrando e narrando. Realmente uma bela vista, apesar da praia ser pouco frequentada por não ter uma qualidade   segura de suas águas. Mas a vista e a natureza daquela enseada, principalmente do alto, me deixaram apaixonada!
Do outro lado, vista da Urca


*
Após descermos, fomos almoçar juntos e passear na orla de Ipanema. Neste nosso primeiro dia, à noite visitamos um barzinho tipo pub, na Vinícius de Moraes, visto que (eu já sabia), ele achou o bar Garota de Ipanema muito sem graça...rs. Na verdade é claro que tem seu charme pelo simples fato de você imaginar que era ali que Tom Jobim e o próprio Vinícius compunham, se encontravam, bebiam, comiam...Mas realmente não existe glamour e nem é um bar super lotado. Ao contrário, você vê muitas pessoas jantando, almoçando, mas nada muito cheio. É um estilo comum de restaurante a la carte, mas que a guia com certeza  indica. As partituras da letra da música e fotos também do maestro e do poeta fazem parte da decoração do local.
*
O almoço foi no Galeto & Cia, na minha rua mesmo. Este restaurantezinho é muito arrumado, serviço ótimo, bons preços, dois andares, porções generosíssimas e muito bem frequentado. Muitos casais e famílias, jovens, crianças, gosto muito de lá. Ah! E sua especialidade é claro, galetos, mas recomendo a tábua de carnes variadas com farofa de banana e ovo. Muito bom! Demais da conta!!

Galeto & Cia.

galetoecia.com/

Galeto & Cia. Tel: + 55 21 2255-7149. Av. Nossa Senhora de Copacabana, 462 / Lj: C - esquina com a Rua Paula Freitas (on the corner of Rua Paula Freitas) ...

Do dia 14 até o dia 16 fizemos coisas básicas, próprias de casais, como visitas, namoro, shopping, comprinhas, e muito chopp, suco e papo bom, mas quero destacar alguns lugares que fomos e comemos bem e nos divertimos. Fomos pela primeira vez juntos ao Sacrilégio, um bar que eu adoro , dançante, com o tipo de música que ele gosta: samba-canção e MPB de Chico Buarque, Djavan, Ivan Lins, Gonzaguinha e tantos  outros mestres  que ele tem me ensinado. Que eu sempre ouvira, mas agora sob uma perspectiva mais interessada e interessante também.
A decoração é característica e o local é seguro e charmoso, muito agradável. Bom pra dançar, pois tem dois ambientes. Pode efetuar reserva.

Importante salientar que muitos lugares que sugeri e já conhecia também estão na guia e sendo assim, ao final das férias, concluímos que a Lonely Planet é uma guia confiável e tem veracidade nas informações, pois só discordamos do "Semente", um bar que no final das contas desistimos de conhecer pelo simples fato de termos nos entranhado pelas ruas da Lapa, à noite, meio deserta, meio estranha, por dentro dos Arcos da Lapa, bem ao fundo, numa rua que subia chamada Joaquim Silva. E também na ida à Santa Teresa, que deu muito medo e desistimos também. Na verdade ficamos apavorados, kkkkkkkkk. Dia meio chuvoso, sete e meia da noite, domingo. Coisas de loucos pelo Rio. Embora eu já tivesse ido, não lembrava direito do caminho e também preferimos ir de carro. Acho que o ideal é ir de taxi e mais cedo, numa sexta ou sábado de noite boa. Estes ficam para a próxima!

Em OutBack Botafogo Plaza Shopping, sempre uma boa pedida: cebola empanada (mas não comemos!), Ceasar salad com grilled chiken e arroz da Tailândia; costela ao molho barbecue com fritas e chopp.

À noite fomos de La Fiorentina, no Leme. Adoro este restaurante e recomendo. Na verdade acho INDISPENSÁVEL. Ele achou muito interessante e até tiramos fotos do autógrafo do Chico, porém ele não gostou da pizza, pois é muito fina e muito crocante, pois o que na Itália eles chamam de fritella, aqui eles chamam pizza. Também não se usa muito por lá colocar pedaços de tomate por cima. Algumas vem com semente e tudo. Ele ficou impressionado! E só vou acreditar porque ele é italiano, pois aqui é muito comum, quase obrigatório. Fica a dica! Para quem não conhece, este restaurante é muito personalizado, um reduto de artistas do Rio de janeiro. A decoração é toda  composta de quadros, fotos, autógrafos e um cardápio exclusivo onde os artistas e celebridades acabam virando massa, carne, saladas e até pizza. Eu comi uma Mariana Ximenes maravilhosa...kkkkkkk
Autêntico com suas pilastras autografadas!



No sexto dia  resolvemos visitar Niterói. Mais uma grata surpresa para mim. 

Caminhar pelas ruas de Icaraí, visitar o MAC, tirar fotos da praia...Nossa, fiquei encantada com o passeio, a vista, a natureza de Niterói. A vista contrária que tantas vezes eu fiz do Rio para lá. Agora vendo o Rio de Niterói foi uma experiência única, pois nunca sequer tinha reparado sob esta perspectiva e panorâmica . Simplesmente deslumbrante. Super recomendo! Um passeio em dia de sol. Acho que foi um dos melhores e mais generosos  que já fiz, pois realmente valeu a pena. Só a ida pela ponte Rio Niterói, aquele vento fresco, ouvindo músicas e apreciando o céu, o sol e o azul do dia. Sim, este dia tinha cor azul! Até nas roupas...rs
Também fomos felizes na escolha do restaurante. Santa Ceia o nome. Embora não fosse à la carte, apenas buffet, gostamos da comida e do local, apesar de no início termos ficado chateados com a pessoa que nos indicou, porque é pequeno e meio apertado. Acho que chegamos na hora do rush do almoço, rsrsrs. mas demos graças ao homem que nos indicou o fato de Giam ter descoberto o prazer do...

PASTEL!

Sim! Ele nunca havia comido. Só neste dia acho que foram uns dez de carne. Depois mais uns cinco no Rio Scenarium, Praia, Bangalô, Lapa, etc....Quando eu digo ninguém acredita que o lanche preferido dele é pastel e caldo de cana!! kkkkkk. Mas eu concordo no caldo de cana, pois adoro também. Só que engorda e tenho medo de contaminação, mas é uma das minhas bebidas preferidas.

Niterói-Icaraí

MAC

Neste mesmo dia jantamos no Rio Scenarium e curtimos mais uma noite na Lapa, em compainha de um casal de amigos.
Fomos na Lapa muitas vezes nestes quinze dias e elegemos o melhor local para se divertir à noite. O melhor que achamos e ficamos mais tempo foi o Carioca da Gema. Muito samba, vozes e intérpretes maravilhosos. Fomos no dia de Júlio Estrela. O cara canta muito e entende de samba mesmo, principalmente de Chico! Giampiero adorou e nós amamos tudo: as pessoas, as participações especiais das moças que também fizeram muito bonito cantando Nelson Cavaquinho e Cartola. As danças... Nossa! Uma noite muito boa! Vamos voltar com certeza e de preferência numa quinta feira, pois foi o dia que Júlio Estrela nos brindou com sua apresentação.

Carioca da Gema


Bem, depois de nossa primeira semana de agito, resolvemos tirar uns dias para passearmos com minha filha Giovanna. Fomos em vários lugares: São Conrado ver as asas deltas, fomos na Quinta e fizemos um programão de índio que ela adorou!! kkkk Andar naqueles carrinhos de pedal . Foi dose ter que pedalar naquele calorão, mas ela adorou e ficamos devendo uma ida à Lagoa andar de "cisne" pois não aguentávamos pedalar mais!
Passeamos pela Barra e jantamos maravilhosamente bem no Bangalô, uma das comidas mais gostosas que  comi nestes dias. Pedimos salada verde com arroz de brócolis e camarão ao alho e óleo e Giovanna uma linguicinha com arroz e farofa, que claro, também comemos. Tudo muito gostoso e agradável também o local, com muito falatório e pessoas que se conheciam das redondezas e que estavam comendo sempre por ali. Parece-me que quando saímos, iria começar uma música ao vivo, mas não sei ao certo . Foi a primeira vez que visitei este bar, mas recomendo também! Na Barra da Tijuca.
Quinta da Boa Vista

Princesa da mamãe!

No décimo dia, ainda com a Giovanna, resolvemos redescobrir o Jardim Botânico, com sua flora, trilhas, espaços, frescor, monumentos, museus, ah!! Tanta coisa para ver e apreciar que um dia não seria suficiente, mas nos contentamos com umas boas duas horas de caminhada e fotos, curtindo as paisagens e nosso objeto de desejo: a frondosa árvore do Tom Jobim! 

Uma gruta ou pedreira, um belo lugar para fotos.

A vez dela!

Escultura Le Danse, de Matisse

Era aqui que Tom sentava e se deixava levar pela inspiração para compor suas músicas e poesias...


Este dia também foi muito gostoso. Almoçamos no Garota da Gávea e à noite fomos no Sarau Rio, na Lapa e passeamos na Lagoa também antes de voltarmos para casa. O  local  merece um capítulo depois à parte, por estar mais bela e viva do que nunca. Mesmo à noite, as pessoas frequentam sem medo e fazem até picnic. Muito interessante. Ouve-se música pelos quiosques, pessoas andando de bike, skate, patins, como se fosse de dia. Está bem iluminada, porém com aquela penumbra charmosa e  carioca, sob a luz da lua e aos pés do Cristo Redentor. Nos decks, vemos jovens casais de namorados entre declarações, beijos e estrelas. Giam lembrou da música cálice, de Chico Buarque e me explicou que agora ele entendia o verdadeiro significado do verso da música:
Esse silêncio todo me atordoa
Atordoado eu permaneço atento
Na arquibancada pra a qualquer momento
Ver emergir o monstro da lagoa...

Na época que Chico a compôs, ele morava na Borges de Medeiros, com vista para a Lagoa...E apesar do cunho político, estes versos são universais, pois é mais ou menos o que a gente sente diante de tanta beleza, no silêncio das águas da lagoa, à noite, na arquibancada de onde se está, seja no chão ou na janela do apartamento; seja no carro ou caminhando em volta dela... Parece que ela vai nos engolir... 

*****************

Nos últimos dias da última semana resolvemos dar uma relaxada, pois já tínhamos ido aos lugares principais. Então termino o post descrevendo alguns lugares que fomos e adoramos, como a pizzaria Capricciosa, em Ipanema, mesmo debaixo de chuva e esquecendo que o local tinha manobrista...rs (gafe nossa, pois chegamos meio molhados e a  pé porque simplesmente não vimos os manobristas!) Desta vez não rolou resmungos em italiano ao estilo novelesco, mas confesso que adoro quando ele faz isso!! kkkkkk

Comemos e elegemos a melhor pizza e mais fidedigna do Rio de Janeiro e de sobremesa profiteroles e tiramissu...aff! Bomba!!!

Também fomos à praia mesmo, tomar banho de mar e almoçar no Pesqueiro- Recreio. Caro e não gostamos muito da comida, apesar de ter uma ótima apresentação. Mas valeu demais também a manhã de sol e mar.

À noite fomos de pizzaria na Americana, que descobrimos por acaso. Simples, mas com uma pizza melhor que a do La Fiorentina..kkkkkk. Na Rainha Elizabeth. Aproveitei e peguei o imã de geladeira, pois já está fazendo parte dos meus pedidos por telefone.

Americana - Restaurante e Pizzaria

www.americanarestaurante.com.br/

Americana Restaurante e Pizzaria, Cozinha internacional - Carnes, frutos do mar, aves, ... Rua Rainha Elizabeth, 100 - Copacabana - Rio de Janeiro - RJ


E para finalizar, no nosso último dia de férias, fomos de Feira de São Cristóvão. Olha, acho  que é o tipo de lugar mais exótico que temos no Rio de Janeiro. As pessoas são diferentes, as comidas, tudo muito característico do Nordeste. Se você é fresco e não gosta de arrasta pé, forró, comida típica como carne de sol e aipim, acarajé, sarapatel, vatapá, não vá! Só fomos porque Giam queria conhecer e a guia recomenda. Gente nordestina de cabo a rabo, como se fosse o reduto mesmo deles. Um mini museu de Gonzaga e muito artesanato e doces típicos. Comprei alguns para a mãe de Giam e confesso que agora só volto lá daqui a uns dez anos...kkkkk Nada contra, pois não sou fresca, mas é que é muito característico mesmo. Comemos bem, até demais, rimos, apreciamos algumas barracas e vendas, mas não é um lugar que dá vontade de ir sempre por ser bem diferente do nosso cotidiano carioca.








6 comentários:

  1. SERGIO NEVES - Excelente relato! (...li tudo!) / Me transportei e me senti turisticamente "in-loco". / Parabéns pelo teu atual momento. Por "saber" de algumas pedaços de caminhos teus e por "torcer" muito por ti, fico também contente! / Meu carinho Elayne.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, amigo!! Aproveitei e mudei o visual!!

    ResponderExcluir
  3. SERGIO NEVES - ...sobre o teu novo visual, dizer que ficou excelente o que já era excelente é meio estranho,...mas,...ficou excelente! / Gostei muito!

    ResponderExcluir
  4. Olá Elayne, Li todo as suas postagens relatando o seu lindo passeio por esses recantos maravilhosos, bateu um saudade infinda, morei no
    Rio durante 14 anos, e sou uma eterna apaixonada por essa cidade mágica e inigualável. Adorei e voltei no tempo. Bjss!

    ResponderExcluir
  5. Obrigada, Diná!! Que bom q te fiz voltar no tempo!! Então venha mais vezes ao RIO!! Bjosss!

    ResponderExcluir