Pesquisar neste blog

No mundo

fevereiro 04, 2012

Meu chacal

"E assim eu te conheci, com o nome de Chacal. Nunca te vi, mas cheguei a te tocar, porque no dialeto da paixão os semelhantes se atraem e ainda que em universos diferentes, meu estúpido e adorável amigo, confessor, bom entendedor de meias palavras e sentimentos convexos, você me ensinou a ser meio você e eu, vestida de ti, abdiquei da realidade e prossegui em meio à discussões sobre  nossos sentimentos. Diz-se por aí que o que se fala não se escreve, mas hoje eu sei  que  muito o que escrevemos também não se coloca em pautas, tampouco se diz. Mesclamos personagens e incertezas, o "quase sempre" se tornou expressão universal e o egoísmo imperou e fez-se presente no que falsamente chamamos um dia de amor... Você era apenas um sonho que eu quis fazer real, uma projeção de tudo o que eu sempre sonhei de alguém, um ator, um anjo, sei lá o quê...Um homem normal, meu dorso negro, meu chacal..."

Um comentário:

  1. Olá Eliane!/vi seu blog, entrei e me encantei com seus escritos! Vc é pura poesia menina!
    Parabéns!
    Estou seguindo seu blog!

    bj!

    ResponderExcluir