Pesquisar neste blog

No mundo

junho 23, 2011

Lá fora o amor...



Às vezes prefiro ficar em casa, só em minhas palavras e minhas conjecturas. Talvez por saber que em casa e sozinha só sou obrigada a conviver com a minha própria estupidez...e a do meu PC q insiste em sobreviver às minhas loucuras. Porque lá fora às vezes me dá medo. Medo de ter medo da vida terrena que é curta e só tem um ingresso. Portanto resolvi seguir em frente e lutar pelos meus ideais, ainda que sejam os mais sórdidos para os outros, é preciso lutar pelos meus ideais.
Talvez o amor seja nuvem passageira para uns, solidez para outros e utopia para mim e talvez também seja como aquele velho clichê:
"O amor é como planta que nasce e precisa ser cultivada, regada e colhida...e seus frutos são excelentes!" Mas eu acrescentaria: Cuidado com os agrotóxicos!
Por que acho pouco provável e até inviável que tal proeza se realize de forma plena. Acho sinceramente que o egoísmo transcende o amor. Há mais de vinte anos busco-o entre escombros, cataclismas e até falsos paraísos, mas o grande problema é que a beleza ou até impureza do outro em questão se tornam tão "normais" que me surpreendo ao pensar no quanto a pessoa se tornou "estável" e sem atrativos para mim.
E parabéns aos que conseguem, querem e compartilham uma vida inteira e até a própria vida com outra pessoa. Acho bonito nos filmes também...
Não sei, mas parece que no início, o fato de ir desvelando a pessoa, conquistando e conhecendo é muito mais instigante.
E confesso que há algumas paixões que trazem uma saudade, um bem querer tão grande, que chego a duvidar se era amor mesmo ou se ela se tornou autoimune ao esquecimento.
E porque será que eu era tão corajosa e atirada e agora tenho andado tão frágil e medrosa? De encontrá-lo e lutar por ele, talvez...
Pois a luta que menciono sobre meus ideais não o inclui, mas sei que
lá fora ele anda à espreita de mim, caçando-me como presa , voraz e sedutor...



Um comentário:

  1. Oi Elayne,

    Ah, o amor é...penso que cada um de nós tem um jeito de amar(nem porisso amamos mais ou menos), o fato é que o amor é um afeto ativo...e requer muito de todos...mas muito mesmo! Gostei de sua prosa poética, e te digo que amar sempre vale a pena...(puxa, como gostaria de sentar contigo agora e tomar um chocolate quente e continuar essa conversa...).Quem sabe um dia tu vens aqui ou eu vou aih?!
    Cuide-se bem, viu?!
    Se permita amar...
    Beijos...com carinho...Mila.

    ResponderExcluir