Pesquisar neste blog

No mundo

março 20, 2011

Os dois paraquedistas e o Amor


Antes de saltar de paraquedas...Pense!

Antes de saltar de paraquedas numa história de amor, certifique-se:
Você está saltando num dia chuvoso ou nublado? Porque certamente terá problemas ou sustos durante a queda. Não esqueça que essa história é como dia de sol e quando passa por dificuldades o tempo fecha, mas isso não significa que o sol não exista mais. Arriscar-se em dias nublados pode ser fatal e você tem duas saídas mas nenhum poder de decisão sobre o destino: terás muitos problemas mas no final dará tudo certo, ou vais ENCHARUTAR!
A paramentação é importante, mas não suficiente:
Você pode estar bem preparado, com roupa apropriada, as amarras bem firmes e seu paraquedas de reserva em ótimo estado. Pode achar que vai dar um salto perfeito e o amor certamente estará confiante e criará algumas expectativas em torno do seu salto. Mas se essa história de amor em que você saltou for mais forte que a sua vontade de vencer, no final, apesar do dia nublado e dos fortes ventos que te arrastarão para lá e para cá, você verá que não caiu em terra firme conforme o desejado. Estará no meio de um deserto, num pântano cheio de crocodilos ou quem sabe em alto mar e o seu resgate será complicado, mas ainda assim se você for forte e acreditar em milagres, talvez o amor tenha compaixão de você e te procure, até porque ele irá se sentir culpado por ter incentivado você a saltar.
Não é pessimismo, é constatação:
É...você certamente será resgatado...ele não vai te deixar a ermo. Talvez até você pense que a vitória chegou e da história pela qual você atravessou só restarão as lembranças dos sufocos e dificuldades que você certamente atravessou para ficar com esse amor. Mas as conseqüências foram geradas e os frutos estão apodrecendo, porque se você não tivesse sido tão invejoso e não tivesse saltado naquele dia, não estaria ouvindo agora do amor pelo qual lutou o que nunca quis ouvir: Que foi um salto mal planejado e que você até é um paraquedista adorável, eficiente e inteligente, mas também oportunista e que não soube esperar o dia e a hora certos. E sendo ass
im ele lembrará do seu verdadeiro amor...

E por fim...
Ele começou a lembrar de como o paraquedista que ele realmente amava era livre e igual a ele; e que mesmo sabendo que o paraquedas estava rasgado, a roupa não era apropriada e também não tinha nenhum reserva, ele resolveu saltar, assim, queda livre, sem paraquedas mesmo. E não deu outra: quebrou –se todo, ficou na UTI por meses, achou que fosse morrer. Mas sobreviveu e acordou, recomeçou o seu caminhar , o seu falar e pensar. Reconheceu a loucura que fez , mas não se arrependeu, pois se não tivesse saltado do jeito que estava não seria tão amado como ainda é, porque ele pode até errado, mas não titubeou em cair em terra firme e nos braços do seu amor.

"O amor a levou para o hospital e achou que ela não resistiria e também errou ao buscar apreço em outro alguém. Mas agora fizeram uma promessa um ao outro: Que ele nunca mais subestimaria a sua sobrevivência e ela jamais saltaria dessa forma novamente, pois poderia realmente ter morrido..."

“Mas hoje é um novo tempo e uma nova aurora...E eles decidiram: agora vão voar...!”
E também agora eles recitam em códigos o que somente por eles e um ao outro lhes é revelado, para que não sejam alvo da inveja e da mentira novamente...
Elayne Aguiar

“O CHORO PODE DURAR UMA NOITE, MAS A ALEGRIA VEM PELA MANHÃ...Salmo 30:5

2 comentários:

  1. Não se brinca com os riscos de um paraquedas desajustado. Boa metáfora Elayne!

    ResponderExcluir
  2. Como dizia o nosso Drummond: " a dor é inevitável, o sofrimento é opcional." Belo texto, Elaine(belo e arriscado,rsrs). Abraço grande. Paz e bem.

    ResponderExcluir