Pesquisar neste blog

No mundo

março 09, 2011

Jesus e seus tríplice-aspectos (Artigo)


Espiritual:
Jesus foi, em seu período encarnado (e ainda o é) essencialmente Deus. Sua obra vicária veio para nos libertar e nos conceder a Graça. Ele foi e é o maior exemplo de amor e espiritualidade que independente de facções ou seitas estará sempre de braços abertos a nos receber. Seu sacrifício vivo e ressurreição são fatores primordiais, essenciais e inegociáveis para quem é ou deseja ser cristão, pois a Bíblia diz que "Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem Dele se aproxima precisa crer que Ele existe e que recompensa aqueles que o buscam". Hb 11:6.


Social:
Ele era inteligente, sábio e foi humano. Preocupou-se com questões sociais e sempre justo e austero em relação a estas.Um verdadeiro discipulador, disciplinador e com sentimentos puros e próprios de solidariedade. Não tinha preconceitos. ora estava com escribas e fariseus ora andava com publicanos e meretrizes, por isso muitos não conseguiam compreendê-lo, pois essa cultura de Amor ao próximo estava sendo inserida por Ele. Ele dividiu a História e mesmo no aspecto social e econômico, sempre abordava questões espirituais. Ele também era organizado: delegava funções e administrava sua autoridade para com seus discípulos como lhe aprazia. Tinha senso de liderança e comandava as missões assim como ele próprio escolheu seus discípulos. A maior função que Ele delegou a todos nós está em Mc 16:15- " Ide por todo mundo e pregai as boas novas a toda criatura".


Econômico:
Ele foi perfeito em seu ministério terreno e não era alienado de questões econômicas, como muitos pensam, mas sempre abominou " o apego às riquezas", mas não que odiasse os ricos. Prova disso é que a salvação chegou a muitos deles, como Zaqueu, que era cobrador de impostos e à filha de Jairo, chefe da sinagoga.
Na questão do tributo os fariseus tentaram experimentá-lo no que dizia respeito aos tributos e não obstante Cristo lhes respondeu: "Dai a César o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus" (Mt 22:21b)

E em outra passagem que eu gosto muito é quando ele chega à Cafarnaum e numa conversa com Pedro Ele esclarece: "De quem cobram os reis da terra os impostos e tributos? Dos seus filhos ou dos estranhos? Simão lhe responde:dos estranhos. E Jesus: então os filhos estão isentos, MAS PARA QUE NÃO O ESCANDALIZEMOS, vai ao mar, lança o anzol, tira o primeiro peixe que subir e abrindo-lhe a boca encontrarão um estáter. Toma-o e dá-o por MIM e por ti".(Mt 17:24-27)

Nenhum comentário:

Postar um comentário