Pesquisar neste blog

No mundo

novembro 19, 2010

Poema de Andreza


Sem limites para sonhar, ainda que sejam
ou estejam difíceis de realizar...
Amigas de universos distantes, longínquos
Que não por acaso encontraram-se
Foi uma amizade selada por Deus?

Uma amizade que tem perdurado, tem sido sólida
Onde depositamos nossas amarguras, também branduras
Da vida, nossos erros, acertos e dedicação anterior
À uma instituição que não acolheu com devido valor
Um estereótipo que hoje já não sabemos se foi anulado

Conversas e questões espirituais, sentimentais
Hoje já não sabemos mais, estamos talvez perdidas
Em meio às nossas próprias ilusões criadas
Disseminadas e outorgadas a outras pessoas
E o pior, por nós mesmas...

Complexidades e valores que só nós entendemos
Sabemos e não mais questionamos
Talvez uma parte de mim ainda insista em crer, amiga
Sei que em ti não mais, apenas um agnosticismo
Ou quem sabe pitonisas de nós mesmas, realistas!


"Ele sempre dá o escape", "Deus falou", "Deus prometeu"
"Vamos orar", "Ele faz tudo certo", será que ainda cremos nisso?
Sei que és guerreira, batalhadora, sei que tens sido fiel
à ti mesma, assim como eu, que hoje acredito em Cristo
Histórico, real, líder e crucial em seus ensinamentos

Sei que talvez voltemos a crer em milagres, a termos disciplina cristã
Voltemos a sonhar com anjos e até demônios
Voltemos a ser doutrinadoras, "profetisas das boas novas"
Mas vivamos um dia de cada vez, sejamos honestas,francas
Brinquemos de fazer nossas próprias vontades..

Talvez ou quem sabe "a tal graça irresistível" e calvinista nos arranque de nossos (hoje não mais) maiores medos: sermos livres e autônomas na nossa própria fé...

(Dedicado a Andreza Corbo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário