Pesquisar neste blog

No mundo

novembro 23, 2010

Meus votos e nossas mudanças


Você começou quando acendeu a luz
E agora ela não para de piscar
Não quero que ela queime, sei que está em curto
Mas ela é forte, compramos de 100 watts

É fluorescente, acende a chama dos nossos corações
Sim, mas se você quiser pode desentulhar e fazer as mudanças
Estarei embalando nossos cristais e louças de porcelana
Estarei com a chama acesa aguardando as votações

Sentir-te-ei em teus textos, o côncavo e o convexo
Como música de Roberto ou Claudinho em "sou eu assim sem você"
Ninguém entende, apenas nós, nossos próprios embaraços
Misturar mudanças com musicas e votos, uma lambança

Mas importa que eu te entenda, sim e você é poeta surtado
Desde sempre, desde jovem, desde meu...
Então faço boca de urna pra unir votos
Te colocar de novo no meu plenário e cenário

Com direito a reeleição, novo mandato
Chegaremos a um novo início, se Deus quiser
Você e eu somos partidários das mesmas idéias
E agora sim, ainda que nossos corações em partes

Partida, não acredito nela
Acredito em meus votos
Acredito em novos pactos e alianças
De amor, indecente,
puro, veemente...

(DEDICADO)

Nenhum comentário:

Postar um comentário