Pesquisar neste blog

No mundo

outubro 24, 2010

CARTAS DE BELISAMA -PARTE ll

Ao Jovem Lusitano
Querido amor que passou


Nossa! Pensei que tivesse encontrado o amor da minha vida! Tão perfeito, éramos como uma família, nossos filhos, nossos planos, nossos enganos... Pensei que havias me resgatado de um falso amor e que como Rapunzel joguei minhas tranças e você arrancou-me daquela torre onde eu vivia com o coração dilacerado e angustiado. Deu-me um ânimo novo, foste sincero em demasia, chegava a doer meu peito. Eram estocadas de punhal cada palavra jogada, cada sentimento ao vento, olhares que se perdiam, paixão que dilacerava-se. Eu ainda queria e muito, muito sofri, muito amei, necessitei de um afago, um telefonema que fosse. Mas muito também fui o que não era. Vesti uma nova roupa: a de desencanada, descolada, não apaixonada e pouco preocupada. Fui-te mais que fiel e fui-te anônima de mim mesma, pois já não sabia como agir ou como ser perto de você...Fui a boazinha ainda com resquicios angelicais, bonanças espirituais que agora dissolveram-se por completo. Sofri, chorei, emagreci, te busquei, não mais encontrei. Os laços foram desatados bruscamente, ainda ouço "vozinhas infantis" questionando e querendo saber de ti . Mas tem passado, talvez de forma mal resolvida, mas já está resolvido! Um passo para trás, dois para frente, é assim que ando...e ainda que não tenhas perdido o encanto, não mais iluminas meus pensares,ao contrário- rio a valer em saber que o que buscas é o contrário de mim: uma jovem mocinha apaixonada, ingênua, que faça-te rir, goste pouco de sexo e seja...bem obediente! rsrs
Desculpe-me...nunca serei assim para homem nenhum...

Um Beijo de BELISAMA MULHER (Que quase se anulou, mas teve forças e se revelou,jogou tudo pro alto e se mandou...)





Ao Desejado e nunca consumado amor
Meu amor


Este sim...quebrou todos os parâmetros: singelo, imaculado, mas ao mesmo tempo infame, impossível e platônico amor de cinco anos. Você sabe o que foi para mim amar-te por cinco anos sem ao menos um beijo, um abraço ou toque de mãos? Amar seu olhar, nossos olhares que cruzavam-se, desejo latente, choros copiosos e tristes ao ver-te casado. Uma cumplicidade misteriosa que tínhamos, rústica paixão travestida de ilusão e "preocupação". Ciúmes!!! Jealousy!! Jealousy!!
Sem poder exteriorizar, ambas as partes sofreram, sei disso, mas essa culpa eu não carrego. Não destruí um lar, não sucumbi a carne que gritava, não fomos traidores, não fomos amaldiçoados, adúlteros, não fomos nós, não fomos hipócritas, não quisemos nos amar, não poderíamos! O tempo era outro, Deus era meu alicerce, fui casta e tu foste nobre. Muito sofri, sinto que dia após dia éramos curados, estávamos sendo renovados, restaurados, aliviados, amenizados...
Talvez este tenha sido meu amor verdadeiro- o que fez-me projetar minhas melhores qualidades e esconder as piores atitudes que um ser humano poderia ter tido em meu lugar. Mas estava guardada sob a mão poderosa do Onipotente, que não obstante falou a mim: "Não comerás deste fruto, pois o salário do pecado é a morte". E sendo assim, tao somente obedeci a Deus. Eu era pura, sensível,quase um anjo, uma brisa leve de menina formosa que aos 27 soube ser o que jamais conseguiria talvez hoje. Soube ter dignidade, soube ser uma mulher de Deus, orgulho-me disso, poi sei quem eu fui em Cristo. Talvez ainda seja, mas não mais genuinamente como outrora.
Hoje apenas escrevo sobre nós, como "Mistérios", onde a jovem Belisama tenta expressar o quanto sentiu ao perceber que depois de 4 anos ainda amava sozinha, mas somente por mais um ano e ela se libertou! O feitiço acabou, o encanto dissolveu-se, ela usou de antídotos e artifícios, ela lutou!!Mas esse amor, esse carinho, ainda restou...e será para todo o sempre, meu amor que muito de mim cuidou e ajudou...

Beijos carinhosos, ternos e quiça um dia audíveis estas palavras a ti, meu doce amor...
(dedicado) De Belisama Guerreira, Belisama Aguiar

Nenhum comentário:

Postar um comentário