Pesquisar neste blog

No mundo

outubro 24, 2010

CARTAS DE BELISAMA- PARTE l


Ao Senhor da Guerra
Meu louco apaixonado


Não sei como começar ou talvez terminar. Quero apenas ser o que sou, expressar o que senti e dizer-te quão bom foste para mim. Não sei se me amaste, mas apaixonado estivera sim. Por mim, por minhas loucuras, meu jeito de ser. Nossa sintonia era perfeita! sinto falta dos nossos enlaces, nosso amor com furor, nossa parceria, seus carinhos, seu olhar, suas declarações, nossas inspirações, suas cançóes...
Fui dura e rígida, cruel e austera. Vesti-me de pedra, mulher cavernosa, ainda existem resquicios, mas acho que está passando...Existe uma coisa prática que chama-se profilaxia(a qual não sucumbi) e por isso enlouqueci! Perdoa-me se fui insensível, minha doçura que você conheceu escondeu-se por trás de uma mulher multifacetada, mas não inventada. Dois pólos que vivem duelando entre si-qual deles sobreviveria se acaso não tivesse percebido a hora certa de parar?..ou quem sabe continuar com o que há algum tempo havia parado: me cuidar.
Confesso que não sei ainda como estou e o que tenho sido. Talvez um período de transição ou crise existencial. Você sofreu, eu sofri, eu reinscindi, você não soube esperar, eu não soube te amar...
Sinto falta e muita dos nossos encontros, nossas viagens, nossas conversas, nosso amor, teus beijos, teu desejo, minha entrega, ainda que total do corpo, mas nunca da alma...Sei tudo o que faço, sei o que fui para você, responsabilizo-me pelos meus atos. Você foi herói, um digno Senhor da Guerra...eu fui sua bandida, sua ferida, seu amor às escondidas... Choro por nós, por ti, por não ter tido a capacidade de ser-te a menina formosa que conheceste há vinte anos atrás. Choro em saber e crer que tudo foi um sonho lindo, mas que teve seu início, seu meio, seu fim- e jamais seria infinito. Seja feliz!

Bjos de Sua BELISAMA, na época REVOLTADA
agora MAIS APRUMADA



Ao Louco Devastador
Querido Louco Varrido

Tiraste-me de dentro da igreja, logo eu, tão profana que era, encontrava-me num periodo angelical, carente e pueril. Apresentou-se como um anjo que queria unir-se a mim, táo grande era seu amor, zelo e sofreguidão em amar-me. Acreditei em seus devaneios, perdoei-te 70 vezes 7, assim como manda Cristo. Fui-te esposa fiel, submissa e acanhada. Nossa! Mulher prendada, deite-te uma herança, era feliz, acho que te amei. Mas você surtou, fugiu, enlouqueceu, pereceu, se perdeu, sofreu também, acredito, mas a maior lesada fui eu. Roubaste meu coração, minha alegria, minha energia, minha esperança, meu lar, e até minha cria. Deste-me veneno para eu morrer-estricnina, mas fui socorrida a tempo por Deus, desse veneno naõ quero provar nunca mais: corrói os órgãos, a mente, o coração, o viço, a alegria de viver.Mas Deus é meu Juiz e a justiça de Deus tarda mas não falha. Não desejo-te mal, desejo-te o gosto de fel do remorso, da vergonha e da covardia que atiraste contra mim...E quer saber? Nunca te amei mesmo!!! Aprendi a gostar das tuas grosserias, do teu mal humor e do teu sexo-me dava muito tesão, admito. Mas nunca te amei...
Tenha bons sonhos! E espero que consigas deitar tranquilamente sua horripilante cabecinha em seu travesseiro...

KISSES KISSES AND BYE BYE, de BELISAMA DIABÓLICA PÓS-PERÍODO ANGELICAL







Nenhum comentário:

Postar um comentário