Pesquisar neste blog

No mundo

setembro 06, 2010

Sobre amor e paixão-considerações finais


Achei que já havia terminado, mas quanto mais me excluo mais penso e questiono, observo e me posiciono em relação a esses sentimentos "nobres" e devastadores, quem sabe imprescindíveis até. Pensei em coisas que ouvi e aprendi e que com certeza tem mudado minha forma de enxergar o que não se vê, ou finge-se não ver:
Os amores egoístas.Ou egoísmos de amor, vai depender do contexto, mas o fato é que as pessoas "normais " não querem estar com alguém por estar, sem fundamentos ou visão futurística da relação. Isso é fato. Não esqueçam: somos seres psico-sócio-bio-físicos. Necessitamos de interação. Mas existem os que por mais que apreciem a liberdade e autonomia, quando entram numa relação entram por dois motivos: Ou verdadeiramente bem intencionados em manter o namoro ou apenas preocupados em "trocas satisfatórias e eficazes". Seria tão imaturo se pensar em um amor "correspondível", onde ambas as partes desejam verdadeiramente investir na relação?
Tem pessoas que se dizem tão maduras (principalmente os homens) e levantam uma bandeira da "autosuficiência",propoem uma filosofia que apenas é verdadeira a ele, a mais ninguém. Já ouvi isso-pasmem!-que a "maioria da população é carente, precisa de alguém para se nutrir sentimentalmente". Bem, estimativa machista e hipócrita ou com certeza oriundas de alguém que se coloca acima do bem e do mal. A imaturidade está justamente aí, pois eu acredito em autosuficiência a partir do momento em que a pessoa também não se preocupe em relacionar-se, talvez como os celibatários(e que ainda assim não o são). E não estou falando de sexo, pois se queres ser autosuficiente então seja sem depender de relações esporádicas ou até mesmo de "falsas relações", e diria até fracassantes amores, onde o outro "ser" em questão contenta-se em ser o terceiro ou quarto plano de sua vida ou mesmo anule-se e passe a alimentar o ego que existe no "réu" em questão.
Ouvi também uma frase muito interessante de um colega que escreve muito bem por sinal e que disse:"Não acredito no amor, as pessoas apenas procuram se amar em outras pessoas...
No fundo muitas pessoas se amam mais quando amadas, quando sentem o reconhecimento diante dos olhos daquele que se admira."(F. M.) - Perfeito, sensacional! Então que fale a verdade, como ele. Que você passa amar ou ama mais a partir do momento que alguém alimenta o seu "bichinho interior".
E o mais interessante é quando o egoísta anuncia que talvez a melhor pessoa para estar ao seu lado seja alguém igual a ele-Das duas uma: Ou ele se apaixona, pois no fundo acho que são pessoas ultra dependentes de paixão, o que os torna um pouco mais "dóceis e esperançosos" ou ele sofre, porque seu machismo impera e ele não admite tal situação contrária, ainda que tenha em algum momento desejado por isso.Ou seja, anda na contra-mão: quer se bastar, mas não quer que quem esteja com ele baste-se. Caso perceba que a companheira(ou companheiro) se posiciona da mesma forma com certeza haverá surto ou choque. Entendam que ele precisa"alimentar-se". As suas verdades são as mais satisfatórias e os relacionamentos anteriores não deram certo por culpa...advinhem! sempre do outro lado...
(talvez continue..)

Nenhum comentário:

Postar um comentário