Pesquisar neste blog

No mundo

julho 04, 2010

Mistérios


Constrangida pela dor, sem coragem de olhar..

Dor de não ter me reerguido e de saber que talvez só eu sofra agora..

Este é o preço de não ter me libertado dos sentimentos que me fazem voar alto.

A realidade de ontem transformou-se em ilusão de hoje

E esta agora luta contra a esperança de saber que bastassem algumas palavras e a utopia viraria fato consumado.

Piegas sim.. admito! Chorei copiosamente por inúmeras vezes..

E o que falar da dúvida?

Certamente o pior de tudo , pois é a linha tênue entre o sim e o não

Entre a verdade e a mentira

O evitável e o inevitável

Mistérios não partem mais somente de mim.. partem dos seus olhos também

Sentimentos inconsequentes, consequentes dizeres

É melhor assim..

Ou uma paixão desenfreada seria a melhor opção?

Mistérios ainda partem de mim..

A decepção que causo, o pesar..

Ou seria a indiferença que hoje já se instala?

Mistérios partem ainda de ti.. sim!

E a certeza que estes nunca serão revelados.. e advinha a quem?

A nós mesmos...

Elayne C.A (“Miscelânea e rascunhos sentimentais”- junho 2007)

Nenhum comentário:

Postar um comentário